domingo, 3 de setembro de 2017

Cartas para Arthur - Carta nº 1

Faz tempo que estou para escrever pra vc, meu filho. Ando pensando muito em você nos últimos tempos, vendo como você cresceu, está forte, esperto, alto! Está mais bonzinho, mais calmo, virando um rapaz.

Em outubro faz 7 anos que você entrou em minha vida. Em novembro faz 7 anos que descobri que não estava mais sozinha... foi difícil num primeiro momento, mas menos de um dia depois de saber que estava grávida de você, eu soube que seria muito feliz com você. Descobri sua gravidez numa noite, na manhã seguinte fiz um ultrassom e vi você na minha barriga. Levei um susto, mas me apaixonei! E poucas semanas depois fiz outro ultrassom e você tinha um coração batendo alto e forte. Cada exame era uma emoção. Poucas semanas depois, junto com seu pai, confirmei que você era um menino (porque eu tinha sonhado que era menino e se chamaria Arthur). Saímos do exame direto para o shopping comprar muitas e muitas roupas lindas pra você. O tempo foi passando, a barriga e você crescendo. Seu quarto foi reformado de presente pela sua avó Rita, com um berço lindo dado de presente pela sua avó Dores (berço esse que você nunca foi fã, gostava mesmo era da minha cama). Você era grandão, todo exame de ultrassom que fazia era só elogios de um bebê tão grande! E eu nem tive diabete, você sempre foi um meninão! Se mexia e entortava toda minha barriga, era uma delícia. Me deixava com desejo de Mc Donald's, sushi e Coca Cola. Não passei mal, não tive enjoo nem vômitos, só azia. Foi muito bom te carregar, meu filho, foi uma gravidez muito gostosa de viver.

Você nasceu, adiantado, apressado, 20 dias! Ia nascer em julho, chegou em junho. Foi uma correria danada, digna de novela, cheia de emoção. Você nasceu um meninão, 37 semanas, 3550g e 51cm. Cabelo pretinho, bocona grande a chorar. Te amei mais ainda naquele minuto, meu filho...

Sete horas depois, me trouxeram você. Eu fiquei acordada esse tempo todo, te esperando. E eu te amei mais um pouco. Você era lindo, era perfeito. Eu te olhei inteiro, te cheirei todinho, coisas que não me deixaram fazer muito na cesária, infelizmente. Você tinha tudo no lugar, nada a mais, nada a menos, lindo, mais lindo do que imaginei. E chorão, rs. Mamava muito, dormia mais ou menos. Eu só conseguia ficar encantada com tanta fofura, sua mala do hospital foi feita com meses de antecedência, com todo amor. Curtia cada roupinha que abria na mala da maternidade. Demos banho em você no quarto, seu pai mais observando, com um pouco de medo. Mas ele te amou desde sempre, filho. Desde o dia que contei que estava grávida de você, ele te amou, ficou tão feliz! E durante os meses que você ficou na minha barriga, ele foi te amando mais, lindo de ver. Assim como é lindo ver a ligação que vocês dois tem, parece coisa de outra vida.

Voltamos com você pra casa, tudo ok, vacinas, teste do pezinho, da orelhinha. Voltamos pra casa com um menino lindo e saudável, que alegria! Aquele junho de 2011, mês frio e gelado, esquentou nossos corações pra sempre.

Te amo, filho, muito.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Catapora em filho vacinado, rolou por aqui!

Há alguns meses meu filho mais velho teve catapora mesmo sendo vacinado, então resolvi contar aqui como foi.

Arthur tomou a vacina de catapora quando era menorzinho. Hoje ele tem 6 anos, mas teve com 5 e meio. Eu achava que isso era boato, que não acontecia, mas acontece sim.

A vacina na época era particular, pagamos para ele tomar no laboratório Lavoisier, assim como várias outras que ele tomou. Fomos avisados de que existia a possibilidade dele desenvolver catapora, mas numa versão bem mais branda.

Janeiro chegou e apesar da "época de catapora" ser na primavera, Arthur acordou um dia com algumas bolinhas no corpo. Ele veio me mostrar e a tonta aqui achou que era picada de inseto. Meu marido olhou e na hora disse que era catapora! Já levei um susto, já que além da surpresa, eu nunca tive catapora...

Corremos para o hospital com ele para descobrir se era mesmo (e era) enquanto minha mãe corria com a Rafaela para o posto para tomar a vacina de catapora, que hoje faz parte do calendário público de vacinas e estava atrasada (falha minha!).

Li que se a criança é vacinada no início do contato com outra criança com catapora, a chance de pegar a doença é pequena. Também li que a criança vacinada que pega catapora tem chances menores de transmitir. Aí só me restou rezar para ela não pegar, imagina a culpa... graças aos céus ela não pegou!

Fomos para o hospital e o médico nos explicou que por conta da vacina, ele teria poucas bolinhas (e teve mesmo, uma meia dúzia), sendo que uma só coçou mesmo, tadinho. Teve um pouco de febre, o médico receitou banho morno, repouso, paracetamol. Não teria muito o que fazer. Logo ele estava pronto para outra.

Ah, eu também não peguei. Inclusive o médico me sugeriu um dia fazer sorologia para catapora para ver se já tive a doença sem sintomas, já que é bem incomum adultos que nunca tiveram catapora. E também porque catapora em adultos é bem mais grave do que em crianças.

Bom, fica nosso relato, já que nunca conheci crianças que tiveram catapora vacinadas.

Beijos!

quinta-feira, 30 de março de 2017

Músicas da nossa última viagem

De volta!

Mas pra que post de viagem aqui? O lugar não é o Passeiorama? Mas aí pensei, quem quer saber as músicas que eu ouvi na viagem, meu Deus, hahaha? Então como aqui é meu canto de brisar, escrevo aqui mesmo!

No começo do mês fizemos uma deliciosa (e cansativa) viagem em família e como sempre ouvimos muitas músicas. Como as músicas me marcam muito, ouço e lembro de lugares e situações, dessa vez não seria diferente. As músicas que me lembrarão dessa viagem são:

Lorde - Green Light

Katy Perry - Chained to the Rhytmn

Rihanna - Love on the Brain

Maroon 5 - Cold (essa foi a que mais tocou, acho!)

The Weeknd - I Feel It Coming

Ed Sheeran - Shape of You


E essas foram as que marcaram mais uma viagem da nossa família, sempre que ouvir, lembrarei da maravilhosa Flórida que tanto amo (ainda moro lá, rs!).

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

15 anos de Lua!

E essa semana foi aniversário da Lua!

A Lua é nossa tekel de estimação, que ganhei de presente da madrinha do meu filho há 15 anos!

Parece que foi ontem: estava doida por um cachorro. Vi um clip do Groove Armada, Superstylin', onde aparece um tekel pretinho fazendo graça. Fiquei apaixonada! Sonhei que tinha uma cachorrinha chamada Lua. Contei tudo isso pra Dani, que me disse que a prima dela tinha um casal de tekel e que tinha dado cria, que ela ia ver se conseguia um pra mim. Dias depois chega a Dani com uma bolinha preta nas mãos, a Lua!

Cheguei em casa, mostrei a Lua pra minha mãe, que surtou: tá maluca, Guaciara? Cachorro? Pirou? Não, mãe, não pirei. Ganhei um cachorro da Dani, olha que lindo! Ouvi que era para levar embora. Fiquei arrasada, mas antes de sair, deixei a bolinha de pelos na mão da minha mãe, pedi para ela cuidar enquanto avisava a Dani que não poderia ficar com o cachorrinho... quando voltei pra casa, meu pai tinha chegado e ambos disseram que tudo bem ficar com a cachorrinha.

Chorei de alegria!

A batizamos de Lua e ficamos apaixonados! Mas o amor maior foi mesmo entre minha mãe e ela... logo minha mãe, que não queria cachorro nem pintado de ouro! As duas são grudadas até hoje, dormem juntas na mesma cama, quando minha mãe viaja a Lua fica sem comer, um grude. E ela foi ficando e foi crescendo. Nunca foi fã de criança, cresceu mordiscando os pés do meu irmão (que na época tinha 7 anos), mas era esperta e super carinhosa. É medrosa e não dá ibope para estranhos e se entra um desconhecido em casa, ela corre para morder o calcanhar! Hoje nem tanto, já que está meio ceguinha pela catarata... Depois que casei, tentei levar a Lua, mas ela sofreu demais sem minha mãe... ela mora com minha mãe, mas a vejo todos os dias, passeio, levo ao veterinário (que ela odeia de morte, rs).

Super educada, logo aprendeu a fazer sujeira no lugar certo, não roía as coisas, só roeu de leve um revisteiro de madeira em toda sua vida. Gosta de usar roupa, dá até a cabeça para vestir. Dá a pata, entende comandos, é super esperta! Entende tudo que falamos, inclusive banho e veterinário. Se damos bobeira e falamos isso na frente dela, já era: ela se esconde e fica mostrando o dente pra gente, tipo, cai fora!

Ela é super esbelta, o que lhe permitiu chegar a essa idade, já que a coluna dessa raça rende problemas sérios. Hoje, aos 15 anos, ela está começando a ter probleminhas de coluna. Ficamos preocupados com o bem estar dela e torcemos para ser algo simples e passageiro.

Tem memória de elefante, já que faz altas festas quando vê a Dani ou algum familiar dela. Parece que está no DNA, sabe de onde veio!



E essa é nossa debutante, 15 anos de alegria ao lado dessa pretinha que amamos!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Dois anos de Rafa (e de amamentação!)

A vida voa, né?

Depois que a gente começa a trabalhar, o tempo parece que passa mais rápido. Aí a gente tem um filho e o tempo acelera mais. Vem o segundo bebê e aí já era, um ano parece ter 100 dias apenas! Quando vemos já é Páscoa de novo ou as ruas já estão decoradas para o Natal...

E com essa velocidade do som, o tempo passou e Rafa fez dois anos.

Dois anos!

Parece que foi ontem que descobri que estava grávida dela, com um teste de gravidez feito despretensiosamente na hora do almoço no trabalho... uma gravidez calma, programada (mas que veio tão rápida que levamos um susto!), com muito enjoo, rs. Com muitas palestras no GAMA, com muita informação e nossa entrada no mundo da humanização. Com um parto lindo e respeitoso, num trabalho de parto a jato de apenas 4 horas.

Parece que foi ontem que comecei a sentir uma dorzinha à 1:30 da madrugada. Em uma hora a dor se multiplicou por 50 e eu já não lembro de tantos detalhes (a tal partolândia!). Às 5:40 nossa pacotinha estava em nossos braços, linda e cabeluda.

Parece que foi ontem que você chegou, começou a crescer, engatinhar e andar! Fez um ano já correndo pra todo lado!

Parece que foi ontem que você foi pra escolinha, tão esperta e faladeira. Fala de tudo um pouco, do seu jeito, mas entendemos tudo. Tão fofa, meiga, gosta tanto de todos, tem um irmão que te adora. Mama, mama e mama. Chama o peito de teta, mamá e peito. Canta até musiquinha (peito, peito, lalalala peito, haha, fofura).

E sobre a amamentação. Eu queria amamentar o quanto Rafa quisesse, mas admito que não imaginava que chegaríamos aos dois anos de idade. Queria, claro, mas não achei que rolaria. Mas estamos aí, dois anos de mamazinho. E eu estou apaixonada por isso! Logo eu, que achava "esquisito" amamentar uma criança grande! A vida é cheia dessas, ensinando sempre.

Parabéns, minha filha amada, meu presente que a vida deu. Ser sua mãe é um privilégio incalculável, te amo cada dia mais um pouco. E seu pai, irmão, avós e todos te amam um monte também! Que esses dois anos sejam apenas o começo de uma vida longa, feliz e cheia de saúde.

Te amo, pixoquinha!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Testando - Panetone Língua de Gato da Kopenhagen

Olá!

Taí uma coisa que eu tinha muita vontade de experimentar e nunca tinha comprado! 

Esse panetone da Kopenhagen é super famoso e todo Natal eu fico no dilema, compro ou não compro? Eita, troço caro! E aí o Natal passa e eu acabo não comprando por pura mão de vaquice minha.

E aí que esse ano a gente estava passeando num shopping do Rio de Janeiro e resolvemos parar para tomar um café. Num canto da loja tinham produtos de Natal com 40% de desconto. Quando vi o panetone de Língua de Gato eu quase caí dura! Aqui em São Paulo não sobrou nada do Natal (eu fui olhar, claro, esperança é a última que morre) e já tinha desistido mais uma vez desse tal panetone. Não pensei duas vezes e garanti um pra gente. Foi uó carregar aquela sacolona pesada no avião, mas valeu o sacrifício, já que o "bolo do papai noel" (como Arthur diz) saiu por R$56.

Se compensa: o preço cheio é caro, mas o panetone é DELICIOSO! E ficou mais gostoso ainda com o descontão, né?

É bem recheado com trufa não enjoativa e não gordurosa (muuuito diferente dos panetones recheados industrializados que já tinha provado), a casca de chocolate é uma delícia, bem grossa e cheia de línguas de gato no topo. Nem preciso dizer que as formigas aqui de casa fizeram o panetone evaporar rapidinho, né?

Agora a próxima ousadia é comprar o ovo de Páscoa da Pandora, kkkkkk!

Bjs!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Hoje eu Assisti - Outra Eu (Twinsters)

Mais um filme que achei na Netflix e adorei!

Antes de tudo: eu adorei o filme!




O documentário Twinsters, que tem 5 estrelas na Netflix, conta a história de Sam, uma jovem coreana que foi adotada ainda bebê por um casal americano e que vive em Los Angeles. Ela é atriz, faz filmes e participa de curtas que são lançados no Youtube. Até aí tudo normal, certo?

Mais ou menos!

Um dos vídeos dela no Youtube é visto por um rapaz na Europa, que percebe que sua melhor amiga é iguazinha a Sam! O nome da moça é Anais, uma francesa que vive em Londres que também é coreana e foi adotada quando bebê. Mera coincidência? Eu acho que não!

Anais entra em contato com Sam pela internet e logo as duas começam a se comunicar. Se falam diariamente e decidem se encontrar, fazer exames de DNA e tirar essa história a limpo.

O documentário é bem gostoso de assistir, fica aquela tensão em saber se é só coincidência mesmo ou se elas são realmente irmãs, já que os registros de adoção de ambas constam como filhas únicas e não gêmeas. A fotografia é legal, já que o filme se passa na Califórnia e Londres.

Assista ao trailer em inglês de Twinsters aqui!

Obrigada pela visita!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Planos para 2017

Oie!

Não sou de falar muito de metas, nem de fazer, na verdade. A única meta que tento sempre cumprir são as amadas viagens, rsrs! E nem de expor, porque acredito em olho gordo, hehehe.

Mas esse ano eu quero fazer tantas coisas, pensar um pouco em mim, sabe? Eu me anulei tanto... foram escolhas que pensei muito para fazer, que amei ter feito, mas que deu. Agora é hora de tentar unir isso tudo da mais harmônica possível, sei lá se é possível na verdade, hahaha!

Eu quero:

- voltar pro pilates
- voltar a estudar
- colocar as crianças na natação ou para aprender algum instrumento musical
- organizar minha casa de um jeito que facilite minha vida
- ajudar o Arthur a se acalmar (ligado no 330 o dia todo)
- doar cada vez mais coisas da minha casa, aprender a viver com menos (venho fazendo isso há um tempo e está dando certo, mas falta muito!)
- assistir alguma série, por faz dois anos que não vejo nada sem ser desenho, hahaha
- conhecer mais e mais São Paulo, falta tanta coisa ainda
- visitar mais a família de outros estados
- comprar feliway e rezar para o Stevie parar de fazer xixi no chão!
- viajar, claro!

Espero cumprir um terço dessa lista, pelo bem da minha sanidade, rs! Feliz ano novo para todos nós e que nossos planos se concretizem =)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Aprendendo Espanhol com Babbel - Primeiras Impressões

Olá!

Hoje vou falar um pouco do que estou achando do curso de espanhol que estou fazendo online pelo aplicativo do Babbel.

Como achei o Babbel: eu vi a propaganda deles em algum canal a cabo uma vez e não dei muita importância. Aí eu resolvi aprender francês online e lembrei do antigo Live Mocha, um site para aprender idiomas online que eu adorava. Fui atrás do Live Mocha, mas não existe mais... e aí lembrei do Babbel.

Fiz a aula grátis de francês no Babbel, mas não senti firmeza em pagar os 45 reais por 3 meses de curso. Testei fazer espanhol, que não sou fluente, mas já tenho um bom conhecimento. Fiz a aula grátis e resolvi pagar o curso de 3 meses.

Estou na aula 11 de 22 do curso para iniciantes. 

O que estou achando até agora?

Acho o curso interessante, tem a opção de fazer pelo notebook ou pelo celular. Prefiro pelo celular, pois tem a função microfone e podemos repetir o que aprendemos e o aplicativo aprova ou não nossa pronúncia. Mas acho que para quem não tem noção nenhuma do idioma fica complicado. Logo nas primeiras lições já temos que escrever palavras, tipo, completar frases de diálogos e eu acho isso bem difícil para quem está começando. Não me animei ainda a fazer francês pelo app, mas assim que terminar o módulo venho contar se minha impressão mudou.

A vantagem é que eu estudo a hora que dá, ou seja, tem dia que onze da noite estou estudando espanhol, depois que as crianças dormiram. Acho que está me dando uma boa base e me ajudando a relembrar o que já aprendi em curso e escola, mas nada substitui o bom e velho professor, não tem jeito! E eu adoro uma aula presencial, com colegas para debater e treinar. Acho que é mais para dar uma noção e a pessoa depois treinar num curso ou numa viagem, sabe?

E vamos estudar, 2017 tá aí, essa é uma das minhas metas! Ter um horário MEU, estudar e não ser só a Guaci mãe, mas a Guaci! Volto para contar o que achei e se fui fazer mesmo francês, rs!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Feliz ano novo!

Hellouuuuu!

Andei sumida, andei corrida, pra variar. Mas não podia deixar de dar minha mensagem de feliz ano novo, porque esse blog é pessoal e de brisas malucas minhas, mas tem umas visitinhas, então senti vontade de me manifestar, rs.

2016 não foi um ano fácil, né, gente? Teve golpe (foi golpe, sim), teve crise econômica feia, teve morte de uma galera da música e cinema, o machismo no Brasil está mais forte do que nunca, mulherada morrendo e levando porrada em peso. Teve atentados ao redor do mundo, a Síria sendo massacrada, acidentes de avião horríveis (força Chape!), o mundo anda bem maluco.

Teve coisas lindas também, claro, mas percebo que foi pesado para a maioria das pessoas...

Aqui em casa tivemos bons momentos, mas o ano foi bem puxado. Perdi uma amiga num acidente bobo, fiquei bem estressada com minha rotina, internei duas vezes por causa da pedra no rim. A parte boa foi que acabamos o ano bem de saúde, juntos, viajamos bastante, seguimos empregados. Mas dizer que foi fácil é mentira, né?

Nesse ano que chega só posso pedir uma coisa: saúde! Como diz o chato do Bial, o resto a gente corre atrás (e corre mesmo!). Sem saúde não somos nada. Espero viajar bastante, conseguir me livrar definitivamente dessa pedra chata e que o ano acabe como 2016, com todos da minha família unidos. Espero que essas guerras e conflitos acabem de vez, que a economia melhore e que as pessoas melhorem de vida junto. São tantos pedidos, né?




Feliz ano novo!