segunda-feira, 29 de junho de 2009

Mais um dia em Brasília!

29/06 - meu terceiro dia em Brasília!

Segundona, e eu em Brasília!

Acordei tarde, não consegui acordar cedo depois de dormir pouco há vários dias, sexta por causa do busão e sábado por causa da ansiedade. Queria acordar às 7, mas acordei às 10 mesmo. A Karla foi trabalhar e eu fiquei por aqui, descansando e Igor trabalhando. Levantei, tomei café e fui com Igor buscar Karla no serviço pra gente passear, tirar mil fotos, ir ao shopping, ver vitrine e buscar o presente do Thomas, acho que ele vai adorar e o Otto torcer meu pescoço, rs! Mas o preço estava ótimo, além de eu ter certeza de que o Thomas vai adorar!!! Que saudade deles...

Depois do shopping, fomos em casa almoçar e deixamos Karla no serviço. Fui com Igor na antena de TV, que tem vista pra cidade toda, tiramos muitas fotos, fomos numa feirinha pra achar o imã da minha coleção, comprei postais para mandar pro Otto! Além disso passeamos pela Esplanada (eu acho, tenho que checar os nomes com eles), na Catedral de Brasília... Brasília é um lugar muito diferente, moderno, cheio de coisas diferentes, as ruas são diferentes, a cidade é dividida em quadras... com a Karla e o Igor deu pra conhecer muito ou toda a cidade, foi muito bom! E o melhor foi tirar fotos de dia no Lago Paranoá, lá é muito lindo mesmo, nem acredito ainda que o lago é artificial, de acordo com Igor, o maior do mundo!

Depois de sequestrarmos a Karla do serviço mais cedo e irmos passear mais um pouco, até a Igreja Dom Bosco, se não me engano, e ao Palácio da Alvorada, casinha de Lula, fomos ao Bar Brasília, que vale demais o passeio, bonito, com variedade, adorei! E tinha um caldo verde... bom para minha despedida! Só não sei como Karlinha aguenta duas capiroskas de lima da pérsia, eita mulher forte, eu tinha dado PT =P.

Ah, no Palácio da Alvorada tinha uns caras que marchavam engraçado, que fazem a guarda de lá, os tais dragõezinhos (Dragões da Independência). Eles usam roupas engraçadas e um cabelão enorme! Tem até um dragão que fica num cercadinho o dia todo para tirarmos foto com ele, nem acreditei que o cara era pago pra isso...

Voltamos pra casa de Karlinha e tomei um banho para ir para o aeroporto. E o medo de pegar o avião, onde ficava? Eu odeio avião, tenho pavor e isso é público e declarado, ainda mais sozinha, acho que foi a primeira vez que peguei um avião sozinha na vida. Corremos pro aeroporto, quase que perco meu avião (a culpa é toda do álcool), me despedi de Karla e Igor e embarquei, com dor no coração (de pavor). Parecia que eu estava indo pro matadouro na fila de embarque, como sou ridícula! Embarquei, rezei, nem fiquei na janela pra evitar o desespero. Quem já pegou avião sabe como é, uma demora do cão pra decolagem. O avião passeia, anda, roda pela pista até decolar e eu ODEIO isso! Como eu não estava na janela, toda hora parecia que ele já tinha decolado, e como fazia 6 anos que eu não pegava um avião eu tinha esquecido da decolagem, que é inconfundível... você cola no assento do avião, o ouvindo tampa na hora, você sente a subida... imagina como deve ser decolar num foguete? Eca! Bom, a viagem tinha previsão de durar 2 horas e durou certinho, muito pontual (graças a Deus, eu quase morri de ansiedade), fui ouvindo músicas e até passou rápido. Quase na hora de aterrizar, o avião passou por uma turbulência e aí eu achei que ia morrer, rezei tanto, hauhuaha! A sorte é que tinha muito cagão que nem eu rezando, assim nem paguei mico! O avião tremia e chacoalhava que só, horrível! Mas tudo deu certo, o avião pousou certinho, quase dei de cara na poltrona da frente por causa do tranco, mas cheguei inteira! Desci do avião gelaaado, de casaco, em Teresina, aqueeele calor, já viu, fui arrancando tudo que era casaco! Teresina sempre é calorenta, mesmo no inverno. Papis, primo e Gugu estavam me esperando, como não despachei bagagem logo estava na casa dos meus primos. A noite foi só uma soneca, porque cedinho estávamos indo para o interior...

domingo, 28 de junho de 2009

Mais um dia em Brasília

Hoje foi meu segundo dia em Brasília!

Apesar de ter dormido super tarde no sábado, consegui acordar cedo no domingo. Se eu perdesse a prova eu me mataria, afinal o objetivo principal de vir à Brasília era o concurso. Tudo bem que aproveitei pra conhecer a casa linda de Karla e Igor e passear por Brasília, mas acho que o grande passeio ficará para amanhã! Karla e Igor vem sendo maravilhosos anfitriões, sério! Além de hospitalidade, conforto, eles são muito calorosos, atenciosos, sempre me levam pra passear, conhecer algum lugar novo, tem uma paciência... são realmente especiais! Não sei nem como agradecer, um jeito pra começar vai ser achar a cajuína da Karla no Piauí, rs! E dá pra acreditar que essa amizade toda, com direito a visitas na casa um do outro, passeios e tudo mais começou no Orkut? A Karla é madrasta da Anna Julia, linda, mas esse capítulo eu conto bem melhor em outro post.

Era pra eu ter acordado às 6, mas acordei mesmo 6:20, quase que Karla teve que me acordar no tapa, rs. Levantei, já tinha separado toda a roupa, documento, tomamos um café ótimo com café com leite quentinho e misto quente, hummm... eu falo que nessa casa estou sendo tratada muito bem! Aí eles levaram a chata aqui pra fazer concurso, acabei tirando eles da cama cedo no domingo, que mancada! O dia amanheceu frio, deve ter sido eu que trouxe de Sampa, só pode! Fiz a prova a la frescurê do Cespe, 120 questões diversas, na qual cada questão errada anula uma certa, já viu, acabei pensando em dobro: tentando acertar e analisando se valia arriscar as dúvidas...

Acabei a prova e toca Karla e Igor me buscarem, uns amores. Passamos no mercado, compramos coisas gostosas, fomos pra casa almoçar uma carne muito gostosa que a Karla fez e descansamos, eu fiquei na net pesquisando coisas do Piauí e eles na sala vendo jogo do Brasil.

No fim da tarde fomos passear, fomos até o Pontão se não me engano, um lugar lindo e chique, porque só tinha gente muito bem vestida e várias lanchas no Lago Paranoá. Falando no lago... que lindo, nem parece artificial!

Lá no lago tinha uma feira hippie dos ricos, com bijus, roupas, cintos, uma coisa mais linda que a outra. Tinha uma banca de anéis, fui ver um pra madre, 90 reais. Uma lojinha de roupas, um vestido maravilhosoooo, no qual a vendedora (que me atendeu muito bem por sinal) disse, aproveita que está com 50% de desconto! E eu disse, quanto fica? E ela, 260 reais! Hahaha, nem preciso dizer nada, né?

Apesar do povo ser rico, estar muito bem vestido e eu estava lá, com minha roupa a la Brás legítima e tênis, fui muito bem atendida, gostei disso.

Saímos do lago e tentamos ir ao shopping... como o estacionamento é free já viu a fila... aí acabamos indo para um Japa muito bom, sugestão de Karla. Adorei o restaurante, bonito, fino, aconchegante. Tudo bem que era meio caro, mas vou te contar, maravilhoso.

Volta pra casa depois de um dia calmo, descanso, net (aqui na casa da Karla tem 3 pcs, um do lado do outro, já viu a lan house que virou, a gente zanzando pela net e mostrando tudo um pro outro, fotos, blogs) banho... eu insone voltei pra net, mas logo pretendo dormir.

Ah, Karla me mostrou um vídeo muito bom, deu pra rir demais, deixa eu ver se acho aqui no Youtube... achei!

Achmed, o terrorista morto: http://www.youtube.com/watch?v=9dsClG9fPs0

Vale a pena ver, dei muita risada e está legendado, pra quem não conhece, visite!

Ah, e hoje eu estava lembrando da minha vinda para cá, eu e Otto correndo feito loucos pra chegarmos a tempo de pegar o ônibus e o bus me atrasa mais de uma hora, rsrsrrs. Atrasildos! E pior que o Otto disse uma coisa na hora da correria: você é muito atrasada, não tem jeito! Mas não ligo, porque vamos rir muito disso depois! E hoje eu estava mesmo rindo, lembrando dos dois correndo pelo trem, kkkkk! Descemos na estação de trem da Luz, que lugar lindo, ficamos os dois admirados, mesmo com a correria, é lindo demais! Depois saímos correndo com mala, bolsa pela Senador Queiroz, perdidos, dando risada, dois loucos, huahuaha, só a gente mesmo! E sabe o pior? O atraso de uma hora do ônibus foi por causa de uma mulher que se atrasou, eu e Otto só faltamos matar a criatura e pior que fiquei amiga dela durante a viagem, uma sacoleira gente boa mãe de gêmeas lindas, me mostrou foto e tudo! E acho que esqueci de contar que na última parada que o ônibus quebrador deu eu fiz amizade com uma cadelinha linda... depois posto foto dela, tão pequena... deu vontade de enfiar na bolsa e levar embora!



Bom, agora vou tentar dormir, amanhã é um longo dia! Wish me luck!


PS: amanhã é o dia!
PS2: saudade de papis, mamis e Gugs, mas logo tô com eles.
PS3: saudade master de Mex e Lua =P

Minha viagem

A partir de hoje tento postar um diário de bordo!

1º dia (contando com o embarque na sexta): peguei o ônibus e acabei embarcando só às 18 horas. Paramos em Cordeirópolis, desci com o note da Karla e fui passear, sem fome. A Ju me ligou e meus pais também, bom falar com eles. Muitas horas de estrada me esperavam. Fiz amizade com umas veinhas. Fiquei deprê e passei na loja de conveniência da parada, achei um chinelo bom por R$8,90 e levei. Acabei comprando um scarpin porque dividia em 3x no cartão. O sapato é lindo, mas talvez o comprei por impulso. Peguei o ônibus de novo e não dormi até 00:51h. A ANTT parou o ônibus e queria lascar multa por não ter a lista de passageiros atualizada, ficamos parados um tempão, maior agonia! Depois de sermos liberados (não sei se rolou um café), o ônibus quebrou, acreditem se quiser...! Sei lá se a parada pela ANTT foi coisa de Deus, imagine o bus quebrando no maior cacete? Acho que estávamos em Araguari, o ônibus parou do nada e lá ficou, rezei muito para não acontecer nada, um acidente ou um assalto... o bus pegou e quebrou de novo em Uberaba, é a síndrome do Dedo Podre em ação. Foi a mesma coisa, parou na estrada um tempão do nada e eu lá acordada ligada na tomada, nada de vir o sono... O ônibus finalmente pegou e o sol raiou, foi quando eu consegui relaxar um pouco e dormir. Eu não consguir pregar o olho, assisti dois filmes e ouvi trocentas músicas (ótimas por sinal). Bom, do nada o ônibus para de novo e quebra de vez, tivemos que descer e esperar por outro ônibus que seria mandado para gente. Era umas 10 da manhã, eu já tinha que ter chegado em Brasília umas 7 horas e pra ajudar eu ainda estava em Cristalina, uma cidade quase 2 horas distante de Brasília. Ah, e meu celular descarregou de vez. Consegui falar com Karla, que resolveu me buscar na parada com Igor, coitados, já cheguei causando, rs! Depois de muito papo com meus amigos sacoleiros na parada, o Igor e a Karla chegaram pra me salvar, graças aos céus! Viemos pra Brasília e foi ótimo que eles me buscaram, foram uns anjos!!! Chegamos em Brasília e eu estranhei muito, é uma cidade muito diferente mesmo, toda planejada, certinha, dividida por quadras... a maquete da cidade é um avião! É tudo muito doido!!! Passeamos de carro, almoçamos um mexicano maravilhoso, tomei um drink que pegava fogo e era realmente quente, de verdade! Fomos ao Museu JK, adorei, tiramos fotos e reparei que a cidade é cheia de espelhos d'água, arte, monumentos... mais passeios só no segundo dia! Também fomos ao shopping, pequeno, mas muito gostoso, jogamos na Mega Sena, vimos sapatos e brinquedos pra Anna e Thomas. Já em casa assistimos um filme muito bom, indicação da Karla e do Igor, se chama Alta Fidelidade, vale a pena, muito bom! Acho que fiquei ansiosa e não conseguia dormir nem amarrada, tomei banho pra ver se ajudava, mas tava demorando... fiquei na net com a Karla, vi que não ganhamos na mega e fui dormir pra fazer minha prova tranquila. Agora fico por aqui!

PS: a Karla e o Igor são anfitriões maravilhosos e tem um apê lindo!
PS2: quero comprar um presente lindoooo pro Thomas, será que o Otto deixa? =P
PS3: depois vem as fotos!

Escrevi esse texto louco antes de dormir, de madrugada, então estava meio corrido, espero ter ficado bom e detalhista, como todo virginiano maluco é!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Definitivamente eu odeio o frio...

Quem me conhece um pouco sabe que odeio, abomino o frio. No frio minha rinite ataca em dobro, meu joelho esquerdo bichado dói, se estou com cólica, ela piora. Fora que sair de casa exige todo um ritual: põe meia, põe calça, sapato fechado, blusa, mais uma blusa, casaco, cachecol e eu coloco também touca e luvas, pareço que estou no Canadá. No calor é só tirar a roupa ou dobrar mangas, pra tudo se dá um jeito, mas no frio se voce esquecer o casaco... vai passar frio. Fora o guarda-chuva que temos que levar pra fazer peso na bolsa, porque no calor quando chove, chove rápido, já no frio é chuva de duas horas e que dá uma sensação térmica de mais frio ainda... graças a Deus e minha sogra tomei a vacina de gripe este ano, porque gripe é uó! Com o frio não tenho vontade de sair de casa pra nada, quero caramujar all the time, não quero passear com o Max, ir na padaria, pro curso, nada, só ficar em casa. Nem o Max tem vontade de passear nesse frio, ele que é super rueiro, tá agora aqui do meu lado enrolado nas cobertas. Pra ajudar esse frio acabou de acabar com meu joelho direito, até então são. Ontem indo pro curso comecei a sentir uma dor no joelho direito péssima, mas fui pra aula. Voltei mancando pra casa, mas nada demais. Hoje de manhã levantei antes do Otto, como sempre e fui na sala. Pois bem, 3 passos depois da cama cai no chão que nem merda... levantei e caí de novo, meu joelho direito não firmava no chão de jeito nenhum... voltando pro quarto caí de novo e ralei todo meu joelho direito... deitei na cama de novo e contei pro Otto, que viu meu joelho e não se conformou... que coisa, isso nunca aconteceu antes! Acho que preciso passar no ortopedista... fiquei puta claro, pois a culpa há de ser toda do frio. Agora estou em casa, com mil coisas pra fazer e o joelho zuado, provas hoje, casa pra limpar... me resta ficar por enquando na net atualizando o blog, conversando com as amigas e ouvindo música, por sinal aqui farei como fazia no meu fotolog e colocarei umas musiquitas que gosto. Hoje vai uma música do Marley e Eu.

The Verve - Lucky Man: http://www.youtube.com/watch?v=qujfdzLJPyU

PS: meus dedos estão duros de frio que dói até pra digitar, ódioooo!

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Da série "Hoje eu assisti"

Essa minha vida temporária (assim espero) de dona de casa me deixa assistir Sessão da Tarde, vejam só! Sexta foi ótima e segunda também, ontem já foi uma porcaria... então assisti um filme segunda a tarde e a noite assisti outro com o Otto e ontem a noite outro. Claro que isso significou dormir tarde da noite, mas valeu a pena, só filmes bons!



Nas Profundezas do Mar Sem Fim: filme de 1999 (achei que era mais velho), que assisti sem querer na Sessão da Tarde, rs. Conta a história de um casal que tem 3 filhos, sendo que um é sequestrado aos 3 anos de idade e depois desse episódio a família fica desestruturada, sendo que o marido é fundamental para a reconstrução da família. Agora não me perguntem se o filho reaparece, como ele sumiu, assistam o filme, rs! Leva nota 4.




Ensaio Sobre a Cegueira: filme baseado no livro do escritor portugues José Saramago, em que a população de uma cidade não identificada é afetada por uma cegueira repentina. De uma hora para outra as pessoas começam a ficar cegas, enxergando apenas um clarão, chamada Cegueira Branca. Os primeiros infectados são transportados para um local em quarentena e submetidos a tratamento desumano, tendo que dividir comida num local sujo, pois com a cegueira de todos o local fica um caos. Entre os infectados está um médico oftalmologista e sua esposa, que finge estar infectada para acompanhar o marido. No decorrer do filme, mais infectados chegam ao local, que fica superlotado e a natureza humana se condiciona a cegueira, momento que a brutalidade e egoísmo vem a tona. O legal do filme, além do ótimo roteiro, é a fotografia, que mostra muitas paisagens. O filme foi feito numa parceria de Canadá, Uruguai e Brasil, tendo muitas paisagens desses países como fundo. Voce assiste o filme e ve o Teatro Municipal, o Viaduto do Chá, o Minhocão... muito legal! Além de tudo, foi dirigido por Fernando Meirelles. Otimo filme e recomendo demais, mas é bem pesado. Fica com nota 5 e meio, se possível!
Ensaio Sobre a Cegueira na Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Blindness

Marley e Eu: filme baseado no livro de mesmo nome do escritor John Grogan. A história é sobre um casal de jornalistas recém casado que pensa em ter um filho, mas a esposa, Jenny, não consegue nem cuidar de uma planta, pois sempre as mata afogadas por excesso de cuidado. Para "treinar", John decide dar um cachorro pra Jenny e decide lhe dar um Labrador, raça calma e carinhosa... o que não é o caso de Marley! Quando o filhote chega em casa, eles decidem chamá-lo de Marley, por gostarem muito das músicas de Bob Marley. O cachorrinho já chega destruindo a casa e logo vira um cachorro enorme, além de morrer de medo de trovões... é apelidado pelo casal de "pior cachorro do mundo", pois foi expulso até da aula de adestramento de tão terrível que era! Mas apesar de todas as artes e estragos, ele conquista o coração de todos e vira membro da família, acompanhando o nascimento dos filhos do casal, a mudança de casa, de emprego... o filme fala da vida de Marley, desde a chegada em casa até sua morte... é triste, mas um ótimo filme, leva nota 5!
Bom, sei que assistir todos os filmes foi ótimo e ver Marley me fez chorar feito louca, porque não gosto nem de imaginar no dia em que meu Max se for... quem me conhece bem sabe o grude que sou nesse moleque peludo... chorei horroooores, e quando o filme acabou eu abracei e beijei tanto o Max que quase morri sufocada! Meu filhote ainda vai fazer 5 anos no fim do mes, mas o tempo passa tão rápido... e vivemos tanto comparado a um cachorro... a Lua mesmo está com 7 anos e parece que foi ontem que a Dani me trouxe ela de presente... e parece que foi de manhã quando estava voltando do serviço e achei uma bolota peluda na rua, embaixo de um caminhão, naquele frio de rachar... é como diz no trailer, um cachorro não se importa se voce é rico ou pobre, legal ou chato, mas se voce der seu coração a ele, ele lhe dará o dele... meu pai diz que se um dia o Max pudesse escolher morrer no meu lugar, ele escolheria sem pensar duas vezes... é uma fidelidade incrível! Até o Otto se emocionou muito e chegamos a conclusão que é impossível ficar indiferente a um cachorro dentro de casa, apesar das bagunças, trabalho, é gratificante! Recomendo a todos que tenham um cachorro, é um amor sem igual!
Só pra registrar, uma foto do meu terrível num momento de carinho!




segunda-feira, 15 de junho de 2009

Da série "Hoje eu assisti"

A partir de hoje começa a série "Hoje eu assisti", em que falarei um pouco dos filmes que assistir recentemente, falarei dos filmes e darei uma nota, que vai de 0 a 5. Vamos lá!

Esse feriado prolongado serviu para eu assistir muitos filmes, com esse frio tem tudo a ver! Então segue a listinha de filmes da cinéfila aqui:



Dirty Dancing: esse filme é um clássico! Eu, nessa minha fase de desemprego do carais estava a tarde em casa assistindo TV, aberta po sinal... eis que começa um filme na Sessão da Tarde e eu começo a assistir. Acho que por causa do dia dos namorados, que eu estava sozinha pelo fato do Otto ter ido trabalhar, passaram Dirty Dancing, para minha sorte de pessoa sem TV a cabo. Chorei, fiquei com mais vontade de fazer aula de dança de salão, além de viajar se um dia conseguirei dançar Time of my life... que lindo! E foi bom ver o Patrick Swayze, que hoje em dia luta contra um cancer no pancreas (estou sem acento circunflexo...) e vira e mexe aparecem boatos de que ele está malz... Fica com nota 5!

Pra ver e ouvir: http://www.youtube.com/watch?v=WpmILPAcRQo

Dirty Dancing na Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dirty_Dancing



Caramuru, a Invenção do Brasil: já conhecia esse filme, mas nunca tinha assistido inteiro, sempre de picadinho. Sábado a tarde, um friiiio, em casa com o Otto, televisão ligada, começa esse filme. Nem íamos assistir, mas começamos e não paramos mais, adoramos! Um filme que conta de um jeito engraçado como começa a colonização do Brasil. Não sabia que o Diogo, o Caramuru, existiu de verdade, adorei a história! Filmes nacionais são bons! Fica com nota 4! Bom humor!

Caramuru na Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Caramuru_-_A_invenção_do_Brasil

Um trecho de Caramuru: http://www.youtube.com/watch?v=ILhs9Pao9dc





Caché: filme frances super indicado pela minha mãe e pelo Sidnei, dono da locadora aqui perto de casa. O filme é um suspense com fotografia de filme de terror, daqueles que parece que a qualquer momento vai pular um bicho e te dar AQUELE susto. O filme é bom, mas meio parado, fica meio massante para assistir de madrugada, como nós fizemos, além de ser assistido por uma pessoa como o Otto, que adora filmes de ação. Eu gostei, mas fiquei sem entender o final, rs. O Sidnei me explicou hoje, quando fui devolver e recomendou assistir de novo para entender melhor. Mas gostei, fica com nota 3.

Crítica de Caché: http://www.cranik.com/cache.html

Trailer de Caché: http://www.youtube.com/watch?v=_w0J9myz14I




O Diabo Veste Prada: adooooro esse filme, aluguei pra rever! A Meryl Strip é maravilhosa, adoro! Ri muito, passei raiva... assisti com o Otto, que ficou o filme todo me chamando de pirigueti e que vou querer mudar meu guarda-roupa agora, rsrrrs, que besteira! Mas que o filme é bom, é, leva nota 5!

O Diabo Veste Prada na Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Diabo_Veste_Prada

Um trecho do filme:http://www.youtube.com/watch?v=izNsf6fC0n8









Agora fico por aqui, mas provavelmente amanhã terei mais uns comentários pra fazer, rs.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Tudo começa pelo meu nome...


Quando eu era pequena eu ODIAVA meu nome e o porque era simples: meus amiguinhos mal conseguiam me chamar, ou era Gua Gua ou nada. Também me acostumei a atender por "Ou", tipo "Ooou, você vai descer pra brincar hoje?". Era triste! Meu sonho de infancia era ter um nome dito "comum": Michele, Jéssica, Juliana... Bom, o tempo passou e hoje eu adoro meu nome! Faz tempo que eu adoro, vai! Principalmente quando descobri que ele significa "por do sol", lindo! Nada de "enviado pela luz" ou "feminino de Daniel". Eu chamo Guaciara e adoro mesmo! Tudo bem que esse episódio de descobrir significado de nome já me deixou muito triste, quando eu era pequena um amigo chegou todo feliz me dizendo que tinha descobrido o significado do meu nome e eu toda feliz perguntei, o que significa? E ele, MANDIOCA! Chorei muito... Mas faz parte da vida, não? Diz a lenda da lenda que eu me chamaria Helena se fosse menina e Leonardo se fosse menino. Como vim menina (linda e humilde por sinal), ficou decidido Helena. Mas minha vó (acreditem se quiser, porque eu acredito) teve um papo muito do espiritual por aí e disse que minha mãe estava grávida de uma indiazinha e que meu nome deveria ser Guaciara... meu pai amou e ficou! Passada minha revolta juvenil, eu adoro meu nome, o significado dele, a história... adoro não ser uma das Julianas ou Natálias das salas onde estudo, adoro quando as pessoas ficam, mas como é seu nome mesmo, hein? Ou então como ontem, que recebi um scrap de uma colega que fez um curso técnico comigo em 2002 e começou o recado assim: Guaciara, jamais esquecerei seu nome! Voce acaba ficando pra sempre na cabeça das pessoas, como a amiga do nome estranho, a menina da sala do nome diferente. Até tenho vontade de colocar um nome diferente nos meus filhos, mas aí penso na infancia com apelidos mil e as pessoas não entendendo o nome deles... a parte negativa de se chamar Guaciara é forte, rs. Tudo bem que até hoje sofro um pouco com meu nome, to super acostumada a ter meu nome confundido com Guaraci, Graciara e cia. Mas isso se chama desatenção, afinal GUACIARA não é tãããão complicado assim, vai?