quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Saudades da minha avó

Sempre tive saudades da minha avó. Sempre penso nela. Faz 6 anos e meio que ela foi embora e ela faz uma falta danada. Gostaria demais da conta que ela estivesse aqui agora para compartilhar as coisas que estou vivendo e vivi; tenho certeza de que ela estaria muito orgulhosa e claro, me enchendo de conselhos. Eu sou a sexta neta de todos da Dona Ercília, a terceira menina, a segunda filha da filha. Eu achava isso caxias e antiquado, mas como os filhos das filhas são paparicados! Eu sempre fui o xodózinho da vovó, porque minha prima mais velha já era adolescente quando eu nasci e minha outra prima, a Juliana (que nem tenho contato), não era muito próxima. Eu vivia visitando minha vó, praticamente morei com ela uma época, ela foi muito presente em minha vida. Era muito bom estar com ela, lembro que quando eu era pequena, era um sofrimento pra mim e meus primos irmos embora da casa dela.
Minha vó era daquelas BEM vó mesmo, mimava os netos, não sabia mais o que fazer para agradar. Comprava doces, fazia as comidas que gostávamos. Eu era ruim pra comer, mas adorava sopa. Minha vó ia lá e fazia uma sopa melhor que a outra. Eu adorava creme de leite. Minha vó abria uma lata pra eu comer de colher com minha prima Pratrícia.
Uma vez eu cismei que queria um cachorro, mas minha mãe não deixava eu ter um. Marcamos um encontro com a minha vó numa praça, e lá estava ela com uma caixona de leite, coberta. Me disse que era um presente. Quando abri, eis que encontro uma pata! Uma pata amarela, que se pos a fazer "quack, quack" e a correr. A batizei de Roberta, em homenagem a uma amiga. Levei a Roberta pra casa (ou melhor, apertamento), bem inacreditável, mas bem coisa de vó. Quando conto ninguém acredita que ganhei uma pata de presente e que a criei por uns dias no apartamento, mas fiquei tão feliz com o presente de vovó que nunca o esqueci.
Foram diversas expressões de carinho, cartões, lencinhos bordados por ela, que guardo até hoje. Quando eu era pequena e estava aprendendo a ler, minha vó me ajudava, com uma brincadeira de achar palavras na rua. Minha mãe parava o carro pra comprar alguma coisa (muitas vezes na rotisserie Pavan, não esqueço, ou nas lojas Nipon) e eu ficava no carro esperando com a minha vó. Ela escolhia uma palavra na paisagem, um letreiro ou algo do tipo e eu tinha que achar a palavra, nos divertíamos muito. Talvez isso tenha colaborado pra mania que eu tenho de observar todos os caminhos por onde passo e também de ler as placas dos carros.
Os conselhos de vovó também eram os melhores. Leoa por natureza, terminou de criar os 5 filhos sozinha e o fez bem, protegendo e cuidando da cria. Com os netos não poderia ser diferente. Minha avó dizia que os homens não prestavam, pra não deixar nenhum homem encostar em mim e que não era pra namorar os meninos. Sempre dou risada quando lembro disso, e sempre penso em como ela reagiria acompanhando e conhecendo meus namoros, será que ela levaria numa boa? E meu casamento de uma hora pra outra? Queria saber...
Queria muito que minha vó tivesse acompanhado minhas conquistas, estivesse aqui comigo agora, me ajudando a planejar minha festa de casamento, participasse da minha formatura da faculdade, conhecesse o Otto... sei que ela assiste tudo e ainda cuida de mim, porque a sinto por perto... mas a saudade é grande, penso nela sempre e cada vez mais, quanto mais o tempo passa, mais saudade dela eu sinto...

TE AMO, VÓ!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

O recado está dado...

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos tendo pés, não me alcancem; tendo mãos, não me peguem; tendo olhos não me vejam e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar. Jesus Cristo me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus com sua Divina Misericórdia e grande poder seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meus inimigos. Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.

Sorte de hoje

Se quiser que os outros sejam felizes, pratique a compaixão. Se quiser ser feliz, pratique a compaixão.

SERÁ?

Perfil

Eu? Terrível, determinada, virginiana, perfeccionista, um pouco orgulhosa, preguiçosa, falante, boa ouvinte, enfim, opostos me atraem... estudiosa? Sim! Porém não sei fazer contas de dividir na mão, que vergonha... (mas estou aprendendo!).

Casada de coração com um marido muito querido, moro com um cachorro que é uma figura (ele fala e adora tomate!). Tenho um certo vício por animais e por mim voltava de cada visita ao pet shop com um animal, que não seja um pássaro. Sou daquelas apaixonadas por animais, que acha todos lindos (e eu acho mesmo), que não pode ver um cachorro na rua, cheio de sarna, que o acha lindo e o pega no colo (NUNCA peguei sarna na vida, ok?). O mesmo procede para gatos, os pretos são meus preferidos.

Valorizo demais as amizades e sou grata aos amigos que tenho (às vezes valorizo até demais, minha mãe diz que o tempo vai me ensinar a selecionar melhor meus amigos). Se você precisar de mim, conta comigo que estarei lá, mas não pise no meu calo... SE a amizade continuar, jamais será a mesma...

Tenho uma família abençoada, com pais maravilhosos e um irmão muito do gato. Tios tenho muitos em números, mas alguns no coração... primos a mesma coisa, os poucos que gosto, eu gosto MESMO!

Crianças são um episódio a parte... e se estiverem na família, melhor ainda! Adoro crianças e vai ser muito difícil você me ver dizendo que quero torcer o pescoço de uma (mas se um dia me ver fazendo isso, acredite, eu tenho razão, porque paciência é meu sobrenome). Com o Otto em minha vida, ganhei muitas crianças queridas e amadas... Leo, Ana, Américo, Gabriel... tem o Thomas também, que a distância só fez aproximar... não tem um dia que não penso nele.

Viajar? É comigo mesmo! Come with me and let's go, como diz em 'Destination Calabria'. Cresci viajante com a minha mãe, aprimorei fazendo um mochilão no Piauí e Maranhão com meu pai e apesar da rotina e dos estudos, procuro sempre viajar, acho que é o melhor investimento que podemos fazer!

Vícios? Alguns bons, alguns ruins... louca por chocolates, beijos, animais, séries idiotas americanas que tem o dom de nos viciar... e livros! Amo, adoro, idolatro, respeito, devoro! Procuro ler um livro por semana, além de revistas (já que meu forte não é matemática, me empenho em português, né?). Raramente você me verá pronunciando algo errado e se você o fizer... eu serei a chata que vai te corrigir. Já tirei a mania de 'seje' (ainnn) e 'menas' (uuuiii) do Otto, agora só falta tirar a mania de dizer 'soe' (nem que eu 'soe' minha camiseta pra isso). PS: ele é craque em matemática! Ah, se eu errar algo em português e você me corrigir, me verá extremamente sem graça!

Também sou uma falsa admiradora da arte, manjo nada, mas gosto, saca? Adoro ir a museus de tudo: conheço o Paulista, o MASP, o JK, quando dá vou à Pinacoteca, também gosto do de Zoologia, mas repito, manjo nada! Ah, falando em animais e zoologia... quando eu era pequena, tinha um sonho em ser veterinária. Quando as pessoas olham o quanto gosto de animais, me perguntam se não optei pela carreira errada. Uma época até eu me questionei sobre isso, até o dia em que fui levar o Lucky, um dog atropelado que resgatamos, para tirar pontos... juro, quase desmaiei. Então fica meu sonho de um dia fazer mesmo biologia e em paralelo, continuo ajudando meus peludos com ração. Minha mãe diz que já fiz um imenso favor de recolher o Max da rua e dar uma vida de príncipe pra ele.

Mais um capítulo? Piercings e tatuagens, pode ser? Outra tranqueira que adoro. Tenho só uma tattoo, mas logo virão outras, é que me falta $$$ (acho melhor assim, porque muitas vezes eu teria me arrependido). Piercings tenho 3 hoje. Tinha um na orelha, mas nunca mais faço isso na vida, nunca cicatriza. E não precisam me aguardar mais! =P

sábado, 3 de outubro de 2009

Emoções

Há coisas na vida da gente que nos deixam felizes...
Há outras que com o tempo se revelam e só nos causam sofrimento.
Há outras ainda que aos poucos nos decepcionam, ate o ponto que o entusiasmo morre e ai já não sentimos mais emoção.
Os relacionamentos são assim ás vezes...
No inicio nos transmitem tanta coisa boa, tudo é perfeito, o tratamento, o jeito de falar, de andar, de sorrir... o coração bate mais forte, as pernas tremem...
Com o tempo, com a visão do dia-a-dia, com a intimidade, as pessoas já não parecem mais tão perfeitas para nos.

As amizades acabam, os namoros, os noivados, casamentos acabam, os encantos são quebrados, a magia é descoberta e não conseguimos mais enxergar as coisas boas que a outra pessoa tem...
Analisamos tudo por um prisma implacável, que só nos diz a pura verdade, só no diz o que tem dentro da gente, o sentimento mais profundo, a percepção e a intuição de que aquela pessoa não tem mais lugar nas nossas vidas.
A vida é assim... encantamentos e decepções, amores e ilusões, alegrias e tristezas, saudade e indiferença, satisfações e frustrações...
A única coisa que fica, é a lembrança de momentos bons, de palavras de carinho, de um olhar, de um sorriso, do toque da pele, do cheiro, do sentimento que se foi.
A única sobrevivente é a esperança de um dia encontrarmos tudo isso novamente e que dessa vez o encantamento dure muito, muito tempo em nossas vidas.
Todos nos precisamos amar e ser amados, todos nos precisamos de alguém que nos de carinho, que goste de nos verdadeiramente, sem querer nada em troca, sem interesses escusos ou conveniências momentâneas, nos ame pelo o que nos somos, com todos os defeitos, com todas as virtudes...
Todos nós precisamos ser felizes!