quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Back to college

Esse semestre voltei com força total ao IF. Tudo começou bem, 2010 entrei, cursei até o fim do ano e descobri que estava grávida do Arthur. Mesmo grávida, super barriguda, fui até o dia do parto estudar, pode? Por sinal, suuuper barriguda eu fui para a visita técnica de Campos do Jordão, para a visita a Santos e lá andei de escuna, teleférico, bonde... não acreditam? Olha aí!


Passeio de escuna

A caminho!

Ah, não posso esquecer, também estava grávida na visita à Curitiba e Morretes!

Eu tinha uma paixão muito louca pela Federal, muita coisa boa aconteceu comigo lá. Só o fato de eu ter a Bruna e o Val como amigos para o resto da vida, já valeu a pena pegar essa estrada! 

Aí o Arthur nasceu. E junto a Federal entrou em greve e tudo se complicou mesmo! Com a greve, não tirei a licença maternidade, não vi necessidade. Mesmo com Arthur recém-nascido, frequentei algumas poucas disciplinas. Foi um grande desafio, eu amamentava, cheguei a levar o pequeno para as aulas (e ele sempre foi chorão, pense na dificuldade), o deixava em casa para ir correndo para a aula e tentava voltar correndo mais ainda. Quando ele tinha 5  meses, passei um dia inteiro fora, fazendo a Convenção de Turismo. O combinado era levá-lo, mas de última hora fui proibida de fazer isso e ainda recebi a notícia de que, se não fosse trabalhar no dia da Convenção, reprovaria na matéria. E eu sou  assim, às vezes "levo" uma matéria. Mas quando me dedico, me dedico mesmo, não falto, faço trabalhos, estudo mesmo, me viro nos 30, mesmo com filho pequeno. Aí fui para uma cidade vizinha a Sampa e passei o dia todo trabalhando no evento, pensando no Arthur e ligando de meia em meia hora pra casa, foi um sacrifício e tanto, mas no fim passei na matéria, valeu por isso. 

E aí depois começaram umas palhaçadas que me irritaram e quase me fizeram desistir da Federal. Uma delas foi ter tirado boas notas em uma disciplina X e a professora ter me reprovado por falta (e ainda me perguntou porque faltei tanto... ahn, deixe me ver, porque eu tinha acabado de ter um bebê???). Aí no outro semestre foi ter frequentado a matéria, me dedicado pra caramba e ter sido reprovada sem explicação, mas enfim... 

Terminar esse curso virou uma questão de honra. Já me perguntaram, pra que eu preciso fazer esse curso se já fiz outra faculdade, já fiz MBA e tal. Porque eu adoro estudar, porque terei um diploma superior público, porque já dediquei muito tempo e dinheiro nesse curso e por todo o esforço de ir para aula grávida, de deixar filho novinho em casa e de até hoje deixá-lo em casa algumas noites por semana para me dedicar ao Turismo. 

Eu adoro o curso e semestre passado comecei a me apaixonar de novo. Com menos intensidade, afinal, depois que o Arthur nasceu nada me cativa mais do que esse lorinho bagunceiro, rs. Quero muito mesmo dar aula, além de gostar de falar pelos cotovelos, muitas pessoas já me disseram que levo jeito e também penso em poder trabalhar meio período e ser mais presente para meu menino, levá-lo à natação, a um parque a tarde, a um cinema, sem ter que disputar espaço e vagas em shoppings no final de semana. Ficar sem trabalhar eu não consigo, porque adoro ter minha rotina, sair de casa, faz bem para mim e isso me faz ser uma mãe melhor também, pois dou muito valor aos momentos que tenho com Arthur e também porque é ótimo ter meu próprio dinheiro. E a meta é essa, depois da Federal, me embrenhar no ramo da Educação (já estou nele há 4 anos mesmo) e dar aulas, venho contar se meu sonho se realizou.

E quer saber? Se eu me conheço, ele vai se realizar SIM!

Agora deixa eu correr que tenho aula de Economia começando em 15 minutos =P

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Dica: drinque perigoso

Nem imaginava que o açúcar e o adoçante fariam diferença em um drinque, vale o toque! Dica retirada da revista Nova de agosto/2013.

Antes de fazer o pedido ao barman, fique sabendo que drinques menos calóricos surtem efeito arriscado. Quem escolhe vodca + soda limonada diet, por exemplo, tem o nível de álcool no sangue 18% mais alto que quem prefere o mesmo drinque com o refri na versão normal. É como beber dois copos, sem se dar conta! O motivo: a versão sem açúcar não precisa ser digerida - e por isso entra na circulação sanguínea mais rápido. Melhor economizar calorias (e possíveis ressacas morais no dia seguinte) intercalando coquetéis com água. 

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Dica: o que são parabenos?

Informação importante para todos nós! Tirada da revista Nova de agosto/2013.

Trata-se de um tipo de produto químico muito utilizado em cosméticos. Eles podem ser encontrados em shampoos, hidratantes... Até pouco tempo, imaginava-se ter baixo perfil tóxico, então seu uso era considerado seguro. Novas pesquisar mostraram que o acúmulo no corpo e sua interação com outros produtos químicos podem levar a pertubações hormonais e aumentar o risco de câncer. Sem falar que favorecem dermatites e deixam sua pele sensível.

Missão: Jeans 38!

Semana 2 - de 19 a 25 de agosto de 2013

A semana começou e eu? Péssima! Depois de uma semana linda, comendo bem de forma geral, exagerei com toda a força no fim de semana. Bebi e comi besteira. Fora que meu fígado não deu conta de jantar sábado pastel e chopp e domingo Lambrusco com churrasco... tudo uma delícia, claaaro! Mas álcool e gordura juntos foram demais e meu velho fígado não aguentou. E eu passei muito mal mesmo. Deve ser velhice, foi-se o tempo em que eu comia de tudo muito e não passava mal nem amarrada. Resultado: trabalhei acabada segunda, a base de Epocler e Eno, não consegui ir pra faculdade, tudo de ruim. Bom que eu aprendi, né? Nada de exagerar, dona Guaciara!

Com o mal-estar, não consegui começar a semana fazendo exercícios, mas recuperei o pique e consegui fazer minha meta, 3 vezes por semana, ufa!

O resultado de não ter me exercitado o suficiente na semana foi uma estagnada: mantive os 65,4 kg. Melhor do que engordar, mas a meta é perder peso, então bora correr atrás!


Durante a semana, segui minha R.A. entre 1200 e 1500 calorias diárias, sem sofrimento. Meu grande problema são os doces... sinto muita falta deles! E o nome disso é ansiedade, preciso trabalhar isso de alguma forma na minha vida, sem ajuda de remédios, mas como? Vou descobrir, se alguém puder me ajudar, agradeço! Na quinta, por conta dessa ansiedade e paixão por doces, comi cookies de Toddy... fiquei chateada e ao mesmo tempo, me acalmei como se tivesse tomado um remédio, pode? Aí decidi maneirar nos outros dias.

Na sexta foi dia de pastel e eu? Não comi! Fiz merengue de sobremesa, que as meninas do serviço pediram e? Não comi e nem quis, porque estava satisfeita por ter comido um docinho na quinta, entenderam? É tipo um vício mesmo, uma droga, preciso trabalhar isso para perder essa necessidade. Almocei e jantei direitinho, foi tudo de bom!

Sábado e domingo corri atrás do prejuízo. Maneirei na alimentação e fiz exercícios, foi muito bom incluir a rotina da semana no fim de semana e ver que sim, é possível! Fui ao The Fifties e almocei uma boa salada, fui à feira e não comi pastel. Mudanças para melhor, sempre bem-vindas! Espero ter mais resultados na próxima semana!



Balanço da semana:

- exercícios 3 vezes na semana: ok!

- dieta de 1500 calorias diárias: todos os dias menos sábado, ok!

- diminuir doces: em andamento, sempre! Mas cada vez mais controlado =)

Ah, e olha quem entrou em casa essa semana e pra ficar (assim espero)!



Boa semana à todos, força, foco e fé!




domingo, 25 de agosto de 2013

The Fifties - Shopping Center Norte: fujam para as colinas!

Hoje fui com os meninos passear e almoçar fora e tivemos uma das piores experiências em um restaurante que já tivemos na vida.

Estávamos com pressa e como lá estava sem fila de espera, resolvemos comer pelo The Fifties mesmo. Sempre tivemos experiências boas em outras unidades, então fomos sem medo. Entramos, bem recebidos, tudo correndo bem. Sentei com Arthur e pedi um suco e uma opção do cardápio infantil para ele e esperei meu marido chegar para pedirmos juntos. Quando ele chegou, ele pediu o que queria beber e comer e eu pedi uma salada. 

Depois de uma boa demora, o prato do Arthur chegou, nuggets e batata-frita. Os nuggets estavam ok, já as batatas... torradas e super velhas! Meu marido tirou os nuggets e pediu para trocar as batatas, que foram retiradas. Depois de outro bom tempo, chegou nossa comida. O garçom serviu meu marido e na hora de me servir, largou minha salada na outra ponta da mesa, sei lá porque. Além do mais, não trouxe nenhum tempero. Como as batatas do Arthur não chegaram, comecei a dar minha salada pra ele, começamos a comer sem tempero mesmo. Aí meu marido foi perguntar dos temperos (básicos, tipo vinagre e azeite) e trouxeram quando eu já estava acabando com a salada... e a batata do Arthur? Nunca chegou! 

Não entendi o porque desse desrespeito todo, se tem uma coisa que acho ridícula é maltratar garçons, eu mesma já fui garçonete e sei bem como é. Sempre os trato bem, pago 10%, procuro ser gentil. E tirando os 10%, fiz o de sempre no The Fifties, tratei os funcionários bem, fui paciente e só ganhei um péssimo atendimento em troca!

Azar do The Fifties do Center Norte: além de não indicar de jeito nenhum, perderam clientes que poderiam voltar muitas e muitas vezes, já que adoramos sair para almoçar e jantar no final de semana!

Dica: higienização de pincéis para maquiagem

Essa nem eu sabia, então resolvi postar. Dica tirada da revista Nova de agosto/2013

Eles são essenciais para um make perfeito. Mas devem estar limpos! "Se as fibras forem naturais, os cuidados são iguais aos do cabelo: shampoo sem álcool na fórmula, condicionador e secador com ar morno no sentido das cerdas", ensina Dany Sanz, criadora da Make Up for Ever. E nada de guardar em local fechado e úmido - os fungos fazem a festa e isso pode causar espinhas ou até doenças na pele. Os sintéticos são mais fáceis. "Lave com shampoo ou um sabão em pedra para roupas". Repita o processo pelo menos uma vez por semana, ok?

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Dia de teatro: Dudinha e a Galinha Pintadinha

Sábado foi dia de teatro, Arthur e eu adoramos uma peça!

Comprei uns voucher no Groupon para ir o Arthur, eu, tia Ju e Maria ao Teatro Brigadeiro assistir
Dudinha e a Galinha Pintadinha. Depois da aventura para buscar os ingressos na sexta, sábado fomos lá.

Assim, vale a pena porque criança pequena não faz tanta diferença, mas o espetáculo da Galinha Pintadinha oficial (que no momento está na amada Cidade Maravilhosa) é bem mais legal e bem feito. Chegamos com os meninos, fomos comprar coisinhas para as crianças beliscarem. A cantina do teatro é super simples, só tinha pão de queijo (frio), Toddynho, sucos de caixinha e refris para vender, poucas opções.

Já dentro do teatro, ficamos esperando começar a peça e enquanto isso, um rapaz fazia uma animação no palco. De minuto em minuto praticamente ele tentava vender para as crianças um bastão colorido por dez reais. Ele pedia para apagarem as luzes e as crianças balançarem no ar os bastões que tinham comprado e quem ainda não tivesse, era só pedir que eles iam até a cadeira vender. E quando a peça começou, os atores brincavam com os tais bastões de luz, achei isso tããão nada a ver... tudo bem que na entrada dos teatros que apresentaram A Galinha Pintadinha e Palavra Cantada, por exemplo, também vendem um monte de quinquilharia, mas não era tão forçado como foi lá... ainda bem que o Arthur ainda não entende e a Maria é um amor e não fica pedindo tudo o que vê, senão estávamos ferradas e falidas.

A peça em si agradou as crianças, as músicas são as que eles conhecem, como "Borboletinha", "Pintinho Amarelinho" e até "A Galinha Pintadinha". Arthur gostou, dançou, pulou, então para gente valeu bem a pena, compensou a quebra do carro e eu e a Ju quase termos dormido durante a peça, rs.

Mês que vem tem outro teatrinho para irmos, venho contar como foi!

Informações

Dudinha e a Galinha Pintadinha
Teatro Brigadeiro
Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, 884 - Bela Vista
Telefones: 3115-2637 ou 3107-5774
Site: www.teatrobrigadeiro.com.br

Crianças a partir de 2 anos pagam entrada (mas fiquei com Arthur no colo e não paguei)

Em cartaz até 31/08/2013

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Tem coisa que só acontece comigo

Sexta-feira, dia sossegado no trabalho, Arthur melhorando do resfriado, jantarzinho marcado pra mais tarde... mas não! Alguma coisa emocionante tinha que acontecer na vida de Guaciara, claro! De onde eu tiraria tanta história pra contar?

Saio do serviço, pego a Ju na casa dela e vamos ao Teatro Brigadeiro para trocar o groupon que compramos pelos ingressos para a peça de teatro que iríamos no sábado. Vamos em duas para não pagar estacionamento, enquanto ela trocava, eu dei a volta no quarteirão com o carro, tempo certinho para ela trocar, por sinal.

Dou a volta no quarteirão e quando vou cruzar a Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, meu (velho) carro morre. Dou a partida. Nhec, nhec, nhec, nhec, nhec, o carro reclama. Dou a partida de novo. Nhec, nhec, nhec, nhec. Nada do carro pegar. Ligo pra Ju e na maior calma (que aprendi a ter com meu marido, que riu da minha cara quando esqueci a chave dentro do carro e tive que chamar o seguro) e aviso, "Ju, o carro morreu e não liga mais, tô na esquina da Brigadeiro". Os carros começam a buzinar loucamente, hora do rush, todo mundo querendo ir pra casa e eu parada em fila dupla numa rua estreita.

Ju chega, dando risada. Rio junto. Chamo o seguro para dar uma carga na bateria, não é a primeira vez que isso acontece. O seguro chega, o rapaz do seguro não consegue abrir o capô do carro... temos que chamar o guincho. A CET chega causando e briga com o cara do seguro, que não tirou o carro do meio da rua. Estacionamos o carro. Procuro que nem louca o triângulo do carro no porta-malas, que está cheio de bagunças, carrinho de bebê e cia. Os carros passam na minha lateral gritando e buzinando. Um cara passou do lado gritando "pirigueeeeeeeete!", hahaha, só rindo!

No fim, o guincho chegou, fomos para casa, o motorista era um barato e demos risada o caminho todo. E sabe a melhor parte? O carro desceu do guincho e...

















... começou a funcionar! Hahaha, eu falo que isso só acontece comigo!

Missão: Jeans 38!

Semana 1 - 10 a 16 de Agosto de 2013

Começar MESMO uma dieta e exercícios não é nada fácil...

Com dois dias de caminhada leve, 4Km por dia, já estava com muita dor nas pernas, até músculo senti porque fui e voltei a pé para o serviço, com direito a viaduto, andar rápido (atrasada como sempre, rs) e pequenos obstáculos (leia-se ruas horríveis e esburacadas). A meta era caminhada por pelo menos 30 minutos, 3 vezes por semana. Em relação a alimentação, desafios à vista também. Logo no primeiro dia, depois de tanta determinação, chego em casa e todos estão jantando pizza =/. Comi uma fatia pequena, mas não me culpei (tanto).

No geral não achei tão difícil fazer a reeducação alimentar, mas vale lembrar que venho treinando a dieta desde julho, então começar de verdade verdadeira foi um processo. Além disso, dei minhas escorregadas, mas com o tempo vou dominar minhas vontades (assim espero!). Esse negócio de segunda começar a dieta não costuma dar certo por isso, largamos os maus hábitos da noite para o dia e acabamos nos estressando, querendo doces, querendo comer coisas que não podemos. Fora que temos que ver o que realmente queremos. Entrar naquela calça bonita e não caber é muito chato e frustrante... mas isso tem que nos motivar a querer fechar a boca e não a comer mais. Eu estava assim. Cada vez que me pesava, não entrava numa roupa que queria, ficava muito triste mesmo. Mas ao invés de me controlar, aí que eu comia mesmo e para nada, né? A gente pode sim comer bem e se satisfazer com uma alimentação melhor! E depois do meu fim de semana, enfiei isso de vez na cabeça. Aproveitei o fim de semana e dei umas jacadas... além da culpa, passei muitooo mal! Me atacou o fígado a mistura álcool e besteiras que só por Deus... ontem nem sei como trabalhei! Foi péssimo, mas isso vai com certeza me ajudar a não jacar mais no fim de semana =)

E sabe o presente de ter me dedicado à essa semana de R.A. e caminhada quase diária? 1,6 kg a menos na balança! E me peso todo sábado na mesma balança para garantir, claro! Agora estou com 65,4 kg, mais perto da minha meta! E claro, mais feliz, motivada e determinada!

A semana no geral andou bem, vamos ao balanço:

- exercícios 4 vezes na semana: ok!

- dieta de 1500 calorias diárias: 4 dias na semana, ok!

- diminuir doces: em andamento, rs


Novo desafio para a semana 2: não jacar no fim de semana!

Boa semana à todos, força, foco e fé!

Receitinha: merengue de morango

Hoje venho com uma receita maravilhosa e super fácil de fazer, o merengue de morango! E nada light, diga-se de passagem, rs. Fiz para o almoço na casa da Lu e foi meu primeiro merengue. Agora que aprendi, farei muitas outras vezes! E o resultado ficou bom para uma primeira vez, só na próxima vou colocar mais suspiros e morangos (e olha que eu coloquei um monte!).

Segue a receita, tirada do Tudo Gostoso:

Ingredientes



  • 500 miligramas de creme de leite para chantilly
  • 250 gramas de suspiros
  • 400 gramas de morango
  • 3 colheres de sopa de açúcar

  • Preparo

    1. Bater o creme de leite ao ponto de chantilly
    2. Colocar o açúcar a gosto
    3. Cortar os morangos em pedaços e reservar
    4. Quebrar levemente os suspiros
    5. Montar com uma camada de chantilly, com uma camada de morango e uma camada de suspiro (seguir esta ordem sucessivamente até terminar com chantilly)
    6. Decorar com morangos e suspiros
     Chantilly batido


     Montagem: uma camada de chantilly, uma de suspiros picados...


     Continuando a montagem: morangos por cima da primeira camada, mais chantilly por cima e recomeça o processo


     Voilá! Está pronto seu merengue de morangos, basta gelar um pouco!
     Agora só preciso aprender a fazer sobremesas lights para acompanhar a R.A., né? Apesar que olha, mesmo que eu nunca mais comesse doces, faria sobremesas, bombons, pavês, bolos... amo muito cozinhar, principalmente confeitaria!

    segunda-feira, 19 de agosto de 2013

    Mãe de menino

    Ser mãe de menino é uma delícia! Sempre quis ter um filho, para poder brincar, correr, jogar bola, brincar de lutinha, fazer bagunça. Claro que ter uma filha também deve ser o máximo, cada roupinha linda, cabelos para arrumar, Melissas iguais para usar, rsrs, deve ser tudo também!

    Eu sempre estive no meio de meninos, sempre quis ter um irmão, menino mesmo. Sempre pedia "mãe, quero um irmãozinho, mas tem que ser menino!". Tive irmão bem mais novo que eu, dois enteados maravilhosos e quando chegou minha vez, fui premiada com um meninão!

    Eu e meu irmão sempre brincamos e brigamos muitos. Desde pequeno ele descia o chute em mim, que ódio, rs. Mas juntos pulávamos muros, andávamos de bike, jogávamos video game, brincávamos de ginástica (era o máximo e a gente se estrupiava nas quedas) e brincávamos de lutinha (brincamos até hoje, na verdade). Hoje em dia, apesar da diferença, somos super amigos, fazemos muitas coisas juntos, cinema, restaurantes, Federal... ele é meu melhor amigo e foi meu estágio de mãe de menino, com certeza!

    Aí vieram meus enteados. O Victor é maravilhoso, um menino calmo, muito inteligente, evoluído mesmo, sabe? Gostava de video game, de passear, era uma delícia estar com ele. Ainda bem que tenho o prazer de poder conviver com ele, mesmo à distância (bendita internet!). E depois veio o Thomas, outro presente na minha vida. Carinhoso, meigo, um grude comigo, dá saudade. Fora que juntos fizemos muitas coisas MESMO! Muito cinema (todos os filmes de super-heróis eu assisti na época dele), parques, jogar bola, bagunça na piscina (quantas vezes não entrei na água com 14 graus...), muitos brinquedos pela casa, entre várias outras coisas.

    Com eles eu aprendi que menino pula na piscina gelada e dane-se, que brinca de carrinho, que você aprende o nome de todos os desenhos, heróis, músicas, tudo mesmo. Bom, eu canto Patati Patatá no banho, então...

    Quando chegou minha vez, veio o Arthur. Foi uma alegria imensa saber que teria um menininho! O mais legal dos meninos é a atenção. Meus enteados brigavam com os pais pela minha atenção, era o máximo, rsrsrs. E com o Arthur não é diferente, somos grudados que nem Super Bonder. Com ele aprendi e aprendo tantas coisas... é muito bom e me sinto privilegiada, sabe, completa? E olha que quero mais dois filhos... mas me falta coragem, meu menino espoleta consegue consumir todas as horas do meu dia, inclusive as extras.

    E mesmo com todo essa energia, essa alegria, esse gás, eu queria muito ter outro filho... menino! E depois uma filha, para ser bem linda e mimada!

    Segue um textinho sobre ser mãe de menino, pena que não achei a autora...

    "Ser mãe de menino é aprender a jogar bola, brincar de carrinho, peão e futebol de botão e pensar... Por que não fiz tudo isso na minha infância se é tão divertido? É aprender o nome de diferentes tipos de caminhões, carros, aviões e demais veículos. Conhecer todos os super-heróis pelo nome, uniforme e superpoderes. Ser camarada de monstros, lobos, vilões e demais seres fantásticos, é ser pirata, motorista, piloto de avião, super-herói e dinossauro. É assumir papel de herói ou vilão, e se preparar porque a cada dia tem uma nova emoção. Ter pique para jogar bola e correr e jogar bola e correr e correr e correr e correr e correr mais um pouco. Ser mãe de menino é sentir-se uma princesa protegida de monstros e bicho papão, pois tenho um príncipe valente que não me deixa na mão; é descobrir que a cor azul é tão linda quanto a rosa, é ganhar beijo na boca, ter a face acariciada e ser chamada de linda, muitas vezes ao dia. Ser mãe de menino é ouvir das pessoas que o sexo masculino é estúpido e mal educado e, provar com muito carinho que isso dependerá muito da educação que ele vai receber! Eu AMO ser mãe de menino!"

    E eu AMO mesmo!

    sábado, 17 de agosto de 2013

    Comer bem é caro!

    Com esse negócio de dieta, venho ensaiando comer melhor desde o mês de Julho. Comer melhor = diminuir besteiras, incluir frutas, legumes, integrais na dieta, diminuir carne vermelha, aprender a fazer substituições saudáveis e outras coisas do bem.

    Ainda estou aprendendo e melhorando meus hábitos alimentares, mas esse começo está sendo regado a auto-puxões de orelha, desafios e vitórias. 

    Essa semana comecei a reeducação alimentar com força total e notei que, além de calorias, vou perder muito dinheiro, rs. 

    Brincadeiras a parte, já que ganharei mais saúde acima de tudo, levei bons sustos nesses dias. Também vi o quão difícil é comer bem. Fui à feira comprar cositas buenas para casa, como morangos, jaboticaba, legumes e outras frutas e gastei 40 reais! E vai durar alguns dias, sem dúvida... Antes de uma noite de aula na Federal, fui numa casa de sucos e gastei 15 reais em um suco, um lanche natural e uma porção de abacaxi. Tudo bem, exagerei e acabei comendo o lanche natural só no dia seguinte, isso que dá comprar comida com fome... mas voltando, comer bem é caro. Se eu tivesse comprado uma coca (R$2,50) e um salgado (R$2,70), ignorando a porção de abacaxi, provavelmente, eu teria gastado R$5,20 e não 10 reais a mais. Então é sim, complicado, caro e tudo mais comer bem. 

    Fora isso tudo, um shopping tem tudo (de ruim) para você comer. Eu passei por lá antes da aula e olha, tem que ter muito foco mesmo. Comer um cupcake, que te encherá bastante, sai pelo mesmo preço da porção de abacaxi do outro lugar. Fui até a C&A comprar uma blusa e passei pelo quiosque das castanhas caramelizadas, do Donuts, do fondue de frutas com chocolate. O único lugar para comer algo mais natural no shopping D mesmo é o Pé do Suco. Ainda bem que eles tem muitas e muitas variedades de frutas, sucos, vitaminas, é bem legal e o preço deles é bem melhor que o Açaí Mooca, aqui do lado de casa. 

    Por isso tudo, estou aprendendo a trabalhar as substituições, aproveitar as frutas de época, conhecer novas receitas, comer de 3 em 3 horas em poucas quantidades. É incrível como nosso corpo precisa de pouco alimento. A gente come muito porque é cultural, porque comer ficou banal, muitas opções, vários preços, preguiça para cozinhar, vários motivos. 

    Na escola em que trabalho, 9 entre 10 crianças traz o combo salgadinho + refrigerante caçulinha de lanche. É um ou outro que traz um lanchinho, um suco, uma fruta. Ainda bem que na escolinha do Thu é proibido levar salgadinhos e cia de segunda a quinta. Mas nutrição infantil eu guardo pra outro post. 

    Força, foco e fé! Até mais!

    sexta-feira, 16 de agosto de 2013

    Blogs, blogs e mais blogs

    Sou fanática por livros e adoro escrever também. Tenho blogs desde a época do colégio e antes, tinha diários e mais diários em papel (já até me ferrei com um deles quando minha mãe pegou, rsrsr).

    Atualmente tenho esse blog e nele posto várias coisas da minha vida. Tenho outros blogs, o Roteiro Kids, que está em fase de criação. A ideia dele é ajudar e dar dicas de passeios para os pequenos, inicialmente em Sampa e quem sabe em outros lugares que visitamos. Estou bem animada e tenho esse projeto desde quando o Arthur nasceu, projeto esse que espero usar, inclusive, no meu TCC. Vamos aguardar os próximos capítulos!

    Neste blog eu escrevo o Diário do Arthur. Desde a minha gravidez que eu escrevo o "Enquanto o Arthur Não Chega", que estou organizando para publicar, está em rascunho, textos lindos que não me canso de ler. Com a chegada do pequeno, parei de escrever por falta de tempo, aí voltei a trabalhar e as coisas se enrolaram mais ainda. Agora voltei com o maior pique, quero escrever muito! A ideia é guardar esses diários para ler e lembrar dessas coisas gostosas que a maternidade proporciona. E os desafios também, né, como a gente cresce sendo mãe!

    Quando a gente fica grávida, tem mil planos envolvendo o bebê, é incrível! Outro projeto é o "Pé na Estrada, Arthur!", já que meu filhote já viaja pra caramba desde a barriga! A primeira viagem dele, ainda com 2 meses de gravidez, foi um cruzeiro. Os passaportes dele são uma gracinha, os carimbinhos, as fotos, uma delícia de ver! Fotos, lembranças, praias, frio, perrengues, comidinhas, tanta coisa legal o Arthur já conheceu e espero poder proporcionar mais viagens e passeios bacanas para ele, assim como meus pais fizeram comigo. Viajar e passear não é só lazer, é aprendizado também!

    Com o tempo, vou me organizar e, se me enrolar muito com as postagens, quem sabe eu não separe e faça um blog de viagens ou sobre o Arthur mesmo? Vamos ver!

    Um bom fim de semana à todos, com muito passeio e diversão!

    quinta-feira, 15 de agosto de 2013

    Farinha de Linhaça - Parte I

    Vou dividir esse post em partes porque eu ainda estou em fase de teste com essa farofinha amiga, além de estar estudando os benefícios e tudo mais.

    A linhaça é uma semente, disponível em dois tipos no mercado: a dourada e a marrom. Nutricionalmente são bem parecidas, tem o mesmo teor de Ômega 3, ajudam a controlar a glicemia e também dão uma sensação de saciedade, ajudando em dietas e emagrecimentos.



    O recomendado são duas colheres de sopa por dia. Linhaça em excesso também não é legal para o intestino. É encontrada em cápsulas, semente, farinha e óleo, mas as que tem mais nutrientes são as em farinha e em semente!

    Fazendo testes em diferentes alimentos, percebi que:

    - a linhaça dourada é praticamente sem gosto, enquanto a marrom é percebida em alguns alimentos;

    - o jeito que mais gostei de consumir a linhaça foi em farinha, misturada aos alimentos;

    - deu super certo a linhaça marrom em: sopas, cremes, arroz, feijão, pão com carne (só um pouquinho de linhaça nesse caso!)

    - deu super errado a linhaça marrom em: vitamina de morango (ficou tão ruim que não consegui tomar) e em iogurtes puros (vou testar com cereais).

    Vou continuar testes, receitas e venho contar como está sendo!

    Ah, para mim, a farinha de linhaça marrom está sendo bem bacana, mas pretendo trocar para a dourada, ela passa mais despercebida nas refeições. Quando eu almoço, coloco uma colher de sopa na comida e misturo bem. Tem dias que esqueço de tomar o lanche da tarde porque a fome desapareceu! Mas se almoço pouco, não tem linhaça que sacie a fome... o segredo é a reeducação alimentar mesmo, não tem jeito!

    Força, galera, manequim 38, aí vamos nós!




    quarta-feira, 14 de agosto de 2013

    Virginiana de araque

    Ok, tenho muitas características do meu signo. Mas se eu for considerar algumas outras, eu sou mesmo uma virginiana de araque.

    Eu sou muito perfeccionista, mesmo. Não tem signo mais perfeccionista que virgem, dizem ser o signo dos chatos. E eu me encaixo nessa lista, com uma pequena diferença: só sou perfeccionista naquilo que eu quero. E ponto. Se eu não quero, não sai tão bom, não sai tão legal, sou mais autêntica do que perfeccionista pelo jeito. Se eu me disponho a arrumar o guarda-roupa, tenha certeza que ele ficará separado com a gaveta das blusas, a gaveta dos shorts e por aí vai. E na gaveta das blusas colocarei as vermelhas juntas, as azuis em outro monte e blablabla. Chato, eu sei. Só que se eu não quiser arrumar o armário... bem, vai ficar A TREVA. Lençol misturado com vestido, misturado com biquíni. A regra se aplica para minha vida. Se eu não tô a fim de namorar, namoro meia-boca. Se estou, sou a melhor namorada do mundo. Se não estou afim de estudar, o trabalho sai "passável". Se estou interessada, geralmente tiro ótimas notas. Queria ser diferente, eu sei. Queria ser como uma grande amiga minha, que quando está trabalhando, ela é a melhor, se dedica de corpo e alma, mas infelizmente não dá. Eu sou sincera até demais e isso mina tudo. Eu não consigo disfarçar... será que serei pobre pra sempre por isso, rs?

    Dizem que virginianos são racionais e isso eu sou e muito! Chego até a ser meio fria, não gosto disso... duro é que quando ajo com a emoção, eu quase sempre faço besteira. E o tempo passa e estou cada vez mais racional, credo... os únicos que me dobram mesmo são a minha dupla dinâmica, Arthur e dona Rita. Ah, esses dois, me convencem até a dar nó em pingo d'água.

    Também dizem que quem é de virgem é um amigo fiel e isso é comigo mesma! Me dedico, tento ajudar, adoro um bate-papo, um barzinho ou receber os amigos em casa. Eu sou daquela que comparo uma amizade a um vasinho de planta: se não regar, não cuidar e der atenção, a planta morrerá. Amizade é assim mesmo. Ligar no aniversário ou de vez em quando mandar uma mensagem, um email, cara, não custa! Sei que a vida de todo mundo é corrida, mas quem não quer arruma uma desculpa, na boa. Para alimentar qualquer tipo de relação, deve haver dedicação, temos que arrumar um jeito. Quem arruma desculpa pra mim, sério, tá com nada!

    Virginianos são hábeis na fala. Eu falo bagarai. Já me comparam ao burrinho do Shrek e nem pude contestar... costumam pensar rápido também, mas nessa parte eu não me aplico mais, dormir tão mal por 2 anos meio que fundiu meu cérebro, coitado. Somos batalhadores, gostamos de estudar e gostamos comprometimento. Putz, comprometimento... eu adoro isso! Quando me comprometo a algo, me dedico de cabeça. A um projeto, a um estudo, a uma amizade, ao meu filho.

    Li que virginianos gostam da beleza e isso é bem verdade. Somos fúteis, que vergonha... e dizem que são impecáveis e estão arrumados e lindos 24 horas por dia... nesse ponto eu sou MEGA de araque, tem dias que nem penteio meu cabelo! Mas não abro mão da manicure semanal, da sobrancelha estar em dia e de umas hidratações no cabelo, ando mais mocinha ultimamente.

    Acertos na lata: virginianos servem para ser funcionários públicos (eeeeu!), gostam de canela, de rosas.

    Erros bizarros: virginianos são ótimos para artesanato (oi??? é comigo?), servem para ser costureiros, gostam de cravo.

    Será que ter ascendente em Touro tem alguma coisa a ver com os pontos nada virginianos que tenho? Bom, fica para um próximo post!

    terça-feira, 13 de agosto de 2013

    Diário do Arthur: crescendo!

    É, pequeno, dessa vez o dodói te pegou de jeito... ainda não sei exatamente o que você tem, mas você está há vários dias doentinho. Até domingo estava tudo "bem", mas segunda você acordou bem molinho, nem na escola foi... e de segunda pra hoje você teve até febre, coisa que não tinha há meses. E olha, você é um tourinho, não é qualquer resfriado ou tossinha que te derrubam, para ter dado febre, é que você está mal mesmo.

    Hoje você acordou ainda molinho, chorão e com febrinha. Sem coragem e sem chance de te mandar pra escola nesse estado, olha que carinha, aperta o coração da mamãe...


    Não desgruda do cobertor do "Pati Tatá"

    E aí a mamãe ia faltar no serviço para ficar com você, quando de repente o super vovô veio ficar com você pra mim! E o tio Gu também! E você ficou todo feliz, tô pra ver duas pessoas pra você puxar o saco que nem esses dois. Fui trabalhar toda preocupada, claro, você nunca tinha ficado um dia todo sozinho só com o vovô. Liguei algumas vezes pra ele e estava tudo sob controle, te deu comida, banho, disseram que você não deu UM trabalho! Fiquei tão feliz e orgulhosa de todos vocês! Depois a vovó chegou pra dar um apoio e confirmou tudo, que você estava bem, de banho tomado e feliz! E o melhor, menos doentinho. Você tem muita sorte de ter um avós como os seus, sabia? Eu não tive avô, infelizmente, gostaria muito de saber como é. E dá um gosto danado de ver o amor que o vovô Anchieta sente por você, o carinho que ele te trata, como ele te mima... você é abençoado! E a vovó Rita então, nem tenho palavras, é uma segunda mãe pra você. Tem a vovó Doris também, que te ama muito, sempre pergunta de você, olha e comenta suas fotos. Mesmo à distância, ela pensa e ama muito você!

    Cheguei do trabalho, você já estava correndo pela casa, feliz da vida. E ainda está correndo pela casa, feliz da vida, quase meia-noite, rsrsrs, meu Pequeno Terrível! Mas olha, prefiro assim. Quando eu digo que você é terrível, as pessoas me pedem para agradecer por você ter saúde e não ser uma criança acamada, especial e hoje foi a prova disso. Nunca mais reclamo que você é terrível, gostoso mesmo é te ver correndo, pulando, riscando as paredes, dançando... 

    Menino da minha vida, te amo muito!

    segunda-feira, 12 de agosto de 2013

    Missão: Jeans 38

    Pois é, lutei contra, mas vou fazer um registro da minha peleja para ser magrinha de novo. Na verdade, como diz minha amiga Sylvia, quero entrar no jeans 38 sem ficar as banhas pulando pra fora, rs.

    Em Julho eu fiz a prévia, testei comer menos besteiras, cortei algumas coisas que não ajudam em nada a emagrecer, comi melhor para poder pegar firme na dieta. Eu tenho um defeito cruel para emagrecer: adoro doces, principalmente chocolate. É tipo o cigarro para quem fuma. E como eu não fumo, pensa... sou super ansiosa, tive que treinar muito para extravasar sem jacar e sei que algumas escorregadas podem acontecer, mas farei de tudo para evitá-las!

    Minhas metas são:

    - entrar no jeans 38 (hoje estou no 40...)
    - chegar aos 60 kg, de acordo com o gastro
    - chegar aos 58 kg, de acordo com o endócrino
    - levar a reeducação alimentar beeem a sério
    - não tomar nenhum tipo de remédio para emagrecer (que medo!)
    - fazer atividade física pelo menos 3x por semana, para começar
    - fazer diário alimentar, para não escorregar
    - dividir, levar bronca e apoiar as mamães do meu grupo (do Facebook, juntas somos demais!)

    Vai ser fácil? Nem um pouco! Estou com 67 (malditos) quilos... e para mim isso é a morte. Eu pesava, pasmem, 55kg quando engravidei do Arthur! Era uma tripa seca que usava calça jeans 36/38, sem um pingo de barriga. E hoje o Arthur nasceu e eu ainda tenho a barriga de grávida, hahaha, rir para não chorar, Brasil. E como antes de ser mãe eu podia comer uma caixa de Bis que, se bobear, acordava mais magra do que estava, está sendo sim, bem difícil. Engordei 24kg na gravidez do Arthur (isso que ele adiantou 3 semanas, se tivesse nascido de 40, sabe Deus quanto eu pesaria...) e perdi 14. Com o stress e correria, engordei 4. Agora perdi 1. Que continha do inferno, Jesuis...

    A meta é emagrecer com saúde, sem pressa e esses quilos não voltarem nunca maaaaaaaaaaais! Tenho mais pontos contra do que a favor... mas serei forte! Todo sábado vou me pesar e farei o diário da semana, com as jacadas, o novo peso, as coisas boas e por aí vai. Lutarei contra o que me atrapalha e vencerei os desafios. Minha rotina é bem atribulada, trabalho o dia todo, estudo 4 noites por semana, meu filho (meu raio de sol =D) não dorme a noite toda ainda... fora os compromissos que pintam aí no meio. Eu adoro doces, tenho um pai mestre-cuca, um marido que adora sair para comer fora e que cozinha coisas gostosas... ainda bem que tenho meu irmão para me lembrar, carinhosamente, que preciso me cuidar (caraio, Sá, tá precisando emagrecer, hein?). Sim, eu amo meu irmão, rs.

    Hoje não terá foto porque estão todos dormindo, não tem luz, mas a primeira atualização já posto uma fotita.

    Bjs e força!

    domingo, 11 de agosto de 2013

    Diário do Arthur: crescendo!

    Filho, você está crescendo tão rápido que assusta! Esse fim de semana você fez várias coisas engraçadas, para poder lembrar e registrar tudo só tendo a câmera do Atividade Paranormal em casa. Tô de boa, rs.

    A novidade é que agora você fala "nossa". Vou tentar filmar um dia, porque não é nossa e ponto. É "noooossaaa!!!", rsrsrs.

    Essa semana você ficou doentinho, com muita tosse, nem foi direito pra escola. A tosse é tanta que às vezes você acaba vomitando. Estávamos nós na sala quando você vomitou. Comecei a limpar e você dizia "noooossaaaaa, impá, impá!" (nossa, limpar!). Eu ria tanto, era tão bonitinho você falando.

    Outra coisa que você me mostrou esse fim de semana é que está entendendo várias coisas. Pedi para você apagar a luz e você foi direto, apagou direitinho. Pedi para você apagar a luz do quarto do papai e da mamãe e você foi lá, não entrou no seu quarto, está cada dia mais esperto! Também  pedi para você ir no seu quarto e pegar uma camiseta na gaveta, porque estava frio e você foi e trouxe uma de manga comprida! Estou tão feliz de ver que você está crescendo rápido e tão esperto!!!

    Você transformou a casa em alegria, em luz, em energia, em cores! Sim, cores, tem um pequeno Picasso em casa, olha o que você fez com as paredes, ahahha!


    E isso se estende para seu quarto, hall de entrada, portas... mas nem ligo, nada que uma boa tinta não tire depois.

    Mesmo murchinho, doentinho, você curtiu o fim de semana. Foi ao médico e ficou bonzinho, foi ao shopping e ficou bonzinho (ok, essa foi milagre, rs) e hoje curtiu muito seu pai e seu avô. Espero que você tenha muitos e muitos dias dos pais com eles! E que você melhore logo, meu pequeno, que mesmo doente, tem energia de um leãozinho!


    Te amo muito, cada dia mais!

    The 4400

    Ontem acabei de assistir mais um seriado para minha coleção. The 4400 conta a história de 4400 pessoas que foram abduzidas entre 1930 e os anos 2000 e são devolvidas em 2004 com a mesma fisionomia e idade da época em que sumiram. Deu para entender ou ficou muito confuso, rs?



    Na época do lançamento, fiquei super curiosa para assistir, mas e o tempo? Agora com a santa Netflix eu consigo acompanhar vários seriados que queria assistir, muito bom! E de pouco em pouco, 15 minutos de um episódio em um dia, maratona de episódios em outro, terminei!

    Balanço da série: The 4400 é uma mistura de Heroes, Arquivo X e Lost. Tem viagem no tempo, mistérios, conspirações, pessoas com super poderes. As duas primeiras temporadas não me pegaram muito, mas como estava muito curiosa, decidi assistir. A partir da terceira temporada, o seriado ficou muito bom, eu gostei bastante, episódios interligados, mas ao mesmo tempo com casos isolados para ser resolvidos, tipo X Files. Gostei muito e indico para quem tem paciência para chegar até a terceira temporada. A primeira é super curtinha, 6 episódios. E a segunda não é intragável, só não é tão legal como as outras duas finais. O seriado não vingou nos EUA, foi cancelado, por isso só tem 4 temporadas. Mas valeu a experiência, gosti!

    Para saber mais: The 4400 na Wikipedia

    E qual é a próxima empreitada: recomeçar Heroes! Assisti só a primeira temporada há alguns anos, vou assistir ela inteira dessa vez e venho contar também ;-)

    quinta-feira, 8 de agosto de 2013

    terça-feira, 6 de agosto de 2013

    Diário do Arthur: crescendo!

    Hoje meu Arthur aprontou uma nova que me fez lembrar um vídeo que eu assisti semana passada e que me emocionou muito.

    Fomos ao shopping comprar um presente para uma amiga quando passamos em frente a uma loja que só vende calçados infantis. Sempre que passamos em frente, vemos um Crocs do Universidade Monstros e quero comprar pra ele. E ele também fica apontando, adora o Sully e o Mike. Hoje entramos na loja, pedimos o Crocs, ele experimentou e não tirou mais, foi embora da loja de sapato novo e tudo! E detalhe: são 11 da noite e ele ainda está com o sapato, só tirou pra tomar banho! Tô vendo que hoje será outro dia de dormir de sapato, cada mania doida de criança!

    Aí fomos caçar um presente. E ele foi boa parte do caminho perguntando "e esse?" (quem é esse?). E eu respondia, "o Sully". E ele, "e esse?", e eu, "o Mike". E assim fomos várias e várias vezes, parei de contar na décima quinta vez, rs. E eu ria com a inocência dele, com a curiosidade, ficava feliz de ver que a cada dia ele aprende a se expressar melhor. Feliz por ver que ele ficava feliz por eu responder tantas e tantas vezes a mesma coisa. Sei que estou cansada e sei que a maternidade está longe de ser perfeita. Mas tem cada coisa que é tão gratificante... são coisas simples, mas tão gostosas!

    Muito agradecida por estar vivendo isso... a cada dia que passa vejo que meu maior acerto foi ter o Arthur, foi ter virado mãe. Biológica, né, de coração eu sempre tive uma filharada por aí, rs.

    Vídeo que assisti que tem tudo a ver com o dia de hoje: http://www.youtube.com/watch?v=Zg0ea1yO_CE

    Foto do pepé novo do Arthur, no Arthur, rs. Acho que pra tirar uma foto só do sapato, só amanhã!

    Dia de casamento!

    Domingo encontrei minhas amadas amigas do quarteto (adicionando Lu e Badim ao bolo) e conversamos muito sobre o casamento da Dani (e sobre a despedida de solteira dela, hauhau!). Ganhei mais um motivo para secar e ficar gatona, serei dinda de casamento da dinda do meu filhão, fiquei tão feliz! E serei madrinha ao lado de meninas lindas, magras e poderosas, preciso correr atrás do preju!

    Como eu amo esse assunto, estou correndo atrás do que posso para ajudar a Dan e estou adorando! Hoje passei o dia pesquisando igrejas, liguei só pra uma, mas vou continuar a correria. Tô na expectativa, será um casamento lindo, com noivos lindos, tudo de bom!

    Também aproveitei para apagar umas trevinhas do passado, vi que tinha uns rascunhos dos preparativos de um casamento que um dia eu comecei a planejar e apaguei tudoooo sem ler nada, para não ficar relembrando o quanto fiquei chateada por isso. Deu pena ver o título "Missão: casamento!"? Lógico que deu. Mas foi zuado. E dolorido também. É péssimo você ser pedida em casamento, começar a ver igrejas, fazer degustações em buffets e depois ver tudo isso acabar. Ainda bem que passou! E ainda bem que não traumatizei, rs, estou radiante por ver minha amiga-irmã casando, tão feliz com os preparativos, será uma noiva lindaaaa, com aquele corpinho, aquele cabelão, vai arrasar!

    Estou na expectativa da Hellenzita casar também, quero ajudar muito! E quem sabe um dia não chega minha vez? Já casei no civil, minha fobia a casamento está passando, rs.

    Ah, e COM CERTEZA chorarei litros nesse casamento. Além de eu sempre me emocionar, pô, dessa vez é a Dani! Minha amigona desde os 3 anos! E também porque ela é a primeira com juízo que não vai amigar, não vai morar junto, nada, vai casar na igreja, de véu e grinalda. Que orgulho, DanDan, te amo, amiga, conta comigo sempre!

    segunda-feira, 5 de agosto de 2013

    DIário do Arthur: crescendo!

    Esse fim de semana foi cheio de novidades no quesito fala! E eu? Fiquei muitooo feliz, afinal, até na fonoaudióloga estamos passando para trabalhar a fala e o sono desse pequeno Artheiro!

    As novidades que derreteram meu coração foram:

    - "Eu quero a mamãe!", sua primeira frase grande;

    - Passando de carro em frente a um pipoqueiro, Arthur colou a carinha no vidro e começou a falar "caca, caca", apontando pra pipoca. Outro super avanço, já que se expressando, ele fica bem mais tranquilo;

    - Domingo de manhã ele me acordou com uma banana na mão, dizendo "manana, manana!".

    Não é pra morrer de amor? Criança falando já é uma delícia. Quando é a nossa então, dá vontade de morder todos os cantinhos, rsrsrs!

    Um dia = 24 horas?

    A maior mentira ever! Meu dia, por exemplo, tem umas 50 horas. Claro, sou ansiosa no pior grau que existe, faço 500 coisas ao mesmo tempo, preciso de muita Maracugina para sossegar. E agora que tenho o Arthur para completar o bolo, segura!

    Desde sempre eu gosto de fazer um monte de coisas ao mesmo tempo. Na época do ensino médio, eu estudava em dois períodos, namorava, lia, passeava pra caramba, acho que nunca saí tanto na vida como na fase da escola!

    Aí entrei na faculdade e a loucura continuou. Numa época eu fazia estágio de manhã em Higienópolis, técnico em nutrição a tarde faculdade de Hotelaria a noite, os dois no Ipiranga. Ah, claro, em época de TCC. Já viu, em dezembro eu literalmente caí dura na Avenida Nazaré e fui pro hospital com estafa. Mas não aprendo, continuo com as mil coisas.

    Hoje em dia eu sou mãe e cara, se você pensa que estudar e trabalhar, namorar, passear é cansativo, tenha um filho. Ou melhor, tenha o Arthur, que tem pré-diagnóstico de hiperatividade. Aí o negócio fica bão MESMO, hahaha!

    Minha rotina é deliciosamente louca e não a troco por nada, se eu não vivo tudo isso junto e misturado, me deprimo, acho que estou mole demais, fico pra baixo. Coragem para tomar um remédio para ansiedade? Não tenho e nunca pretendo tomar. Academia diz que ajuda, mas ainda não consegui encaixar na rotina louca. Calmatezinho fitoterápico cai como uma luva para mim, mas como o Arthur ainda acorda de madrugada, não consigo tomar. Quem sabe mais pra frente eu me acalme e diminua o ritmo, né?

    Hoje minha rotina é corrida: leva Arthur na escola, vai pro trabalho, busca Arthur na escola, algumas noites por semana vai pra faculdade. Tranquei a faculdade de Letras que fazia a distância para me dedicar exclusivamente ao Turismo e finalmente me formar no IFSP. No meio dessa rotina, tem levar o Arthur ao pediatra, ao otorrino, tem fazer a unha, tirar a sobrancelha, hidratar o cabelo, enfim, coisas de mulherzinha que adoro, rs. Também tem que encaixar tempo para os pais, irmão, marido, amigas. E assim, quase todo o meu tempo é do Arthur, não tem jeito. Se estou no trabalho, estou pensando nele, no que tem que comprar, que médico levar, que passeio fazer. Aos finais de semana tem a overdose de Arthur: Playland, parques, praças, shoppings, viagens, só matutando meios de distraí-lo e tentar cansar um pouco a ferinha.

    Às vezes fico pensando, e se o dia tivesse mais horas, para eu poder fazer todas as minhas coisas com calma? Não daria, porque eu com certeza enfiaria mais mil coisas nas brechas de horário que surgissem =P

    Morar no Centro

    "Eu sempre morei no Centro, não sei morar em outro lugar, pelo menos por enquanto. Pra mim, morar no Centro é uma beleza e eu não troco por nada. Sempre morei por aqui, não sei se por destino ou se por sorte. O Centro de São Paulo não é o lugar mais bonito do mundo, principalmente o Brás. Agora que quem eu não queria que soubesse onde eu moro sabe, fuck off, não é mesmo? Quando falo que moro no Brás as pessoas logo perguntam se moro perto das lojas e lá vou explicar. Moro no bairro do Brás, mas não no meio das lojas coreanas com costureiros bolivianos e sim na parte residencial, o que não torna o bairro muito mais bonito. Quando cheguei por aqui as coisas eram bem diferentes, hoje o bairro tem muito mais estrutura, mas não a considero suficiente ainda. Acredito que a quantidade de condomínios pediu mais comércios e colaborou para a área se desenvolver um pouco. Onde eu moro é a continuação da Várzea do Carmo. Aqui é como se fosse a Várzea do Brás, mas bem mudada porque não tem um metro livre, pra todo canto tem um prédio. Com o boom imobiliário, a tendência é aumentar e muito o número de prédios, estão construindo uns 5 novos condomínios por aqui e sei que tem mais uns 3 novos lançamentos para sair, caríssimos, aff. Fui ver para comprar um de 1 dormitório e quase morro como preço. O pessoal tem vontade de morar no Centro E perto de uma estação de metrô porque é cruel, perde-se muito tempo em trânsito indo para o trabalho."

    Escrevi esse texto há trocentos anos atrás, beeem antes de eu me mudar. Hoje não moro mais tão no Centro, mas também não fui para tão longe. Ainda moro perto do trabalho, da escolinha do Thu, minha vida não mudou tanto nesse sentido. Ainda vejo minhas amigas, estou morando mias perto inclusive da madrinha do Thu e no mesmo prédio da Lu, olha que beleza! Mas admito, demorou para passar aquela saudadezinha de morar lá na Carneiro, 95% da minha vida foi lá, não tem jeito, né?

    Diário do Arthur: crescendo!

    Arthur é um menino querido demais da conta! Primeiro filho, neto, sobrinho, primeiro bebê entre as amigas...um menino de sorte, paparicado e ficando mimado, mas estamos trabalhando para melhorar isso, rs!

    Durante minha gravidez, escrevia para ele, com a intenção dele saber um dia que sempre foi muito amado e o quanto eu curti sua gravidez. Que mesmo com a pressão, com a cabeça cheia de coisas para resolver e pensar, estar com ele, sentir seus chutes, conversar com ele me tornava tão especial e feliz, tão grata! Por isso, resolvi escrever para ele, agora que ele está fora da casinha dele. Pena que, por falta de tempo, pela correria, eu não consegui escrever desde que ele nasceu, pena mesmo! Mas vou começar a escrever seus avanços, conquistas, gracinha e artes que ele fez e fará, para lermos e lembrarmos de tudo mais pra frente!

    Arthur nasceu em 21 de junho de 2011. Desde a maternidade era chorão e apegado, queria um bom colo, um lugar quentinho no braço de alguém. Nunca foi bom para dormir, mamava o dia inteiro, literalmente. Sorriu logo, com 1 mês já distribuía simpatia. Nasceu com cabelos pretinhos, que caíram todos e nasceram os lindos e liiiisos cabelos dourados que tanto amo. Sentou com 6 meses certinho, com 9 engatinhou e enganou a todos porque só foi andar com 1 ano e 1 mês, mesmo ficando durinho e andando pela casa segurando nos móveis com 10 meses. Os dentinhos também vieram com 9 meses, a passo de tartaruga. Hoje tem uma boca de tubarão, com dentes retinhos e branquinhos, tão lindos!

    São tantas coisas para contar, para lembrar, tanto amor... o que eu lembrar, vou postando. E daqui pra frente vou guardar o máximo de informações que lembrar, estou bem animada =)

    Te amo, Gatolino

    Primeiro dia do Arthur