segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Dia de teatro: O nome dele é... Peixonauta!

Sábado foi dia de teatro pra gente, fomos ao Teatro Anhembi Morumbi assistir o musical do Peixonauta. Eu nunca tinha ido a esse teatro e gostei bastante. Pequeno, limpo, organizado, com cara de novo. A disposição das cadeiras é boa e, aparentemente, todos os lugares tem boa visão do palco.

A parte boa: tem bastante vagas na rua e o estacionamento em frente, no MeggaShop, tem preço camarada, 8 reais (raridade hoje em dia).

Fiquei surpresa com a peça. É no estilo do Palavra Cantada, com adultos cantando, com percussão, guitarra, violão e muita cantoria, muito legal! Vários ritmos, rock, cantigas, gostamos muito! Até Arthur que não é suuuuper fã do Peixonauta ficou quietinho que nem piscava. Interagem bastante com o público, um espetáculo bem interessante, pena que durou só dois finais de semana em SP e um no RJ. Espero que volte e, se voltar, que fique por mais tempo em cartaz!



Para saber mais, veja aqui a reportagem do musical na Folhinha

Informações
Teatro Anhembi Morumbi
Rua Dr. Almeida Lima, 1176 - Brás
Preços: R$30 a inteira (conta com meia entrada)

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Os maiores genocídios da história

Desde que os romanos destruíram Cartago, em 146 a.C., povos tentam exterminar uns aos outros. Mas as atrocidades mais escabrosas foram cometidas no século 20.

10º lugar
Onde: Camboja
Quando: de 1975 a 1979
Total de mortos: 1,7 milhão

Em apenas quatro anos, o ditador Pol Pot (1925-1998), acabou com 20% da população do próprio país. Professores, jornalistas, pessoas que usavam óculos, chineses, vietnamitas, budistas, muçulmanos... Qualquer um que pudesse ser caracterizado como intelectual ou estrangeiro era detido em campos de concentração para morrer de fome.

9º lugar
Onde: Leste Europeu
Quando: 1945
Total de mortos: 1,5 a 2 milhões

Após a 2ª Guerra Mundial, o ditador Josef Stalin (1879-1953) exigiu que alemães morando em territórios recém-dominados pela União Soviética (antes controlados por Hitler) voltassem para seu país de origem. A pé! No trajeto, famílias inteiras foram agredidas ou assassinadas. Só na Polônia, mais de 1 milhão de alemães morreram.

8º lugar
Onde: Turquia
Quando: de 1915 a 1923
Total de mortos: entre 2 e 2,7 milhões

No calor da 1ª Guerra Mundial e nos anos até a dissolução do Império Otomano, o governo turco forçou minorias ao exílio, em longas caminhadas rumo a campos de concentração onde hoje fica a Síria. Morreram de 1 a 1,5 milhão de armênios e 750 mil assírios. Gregos e curdos também foram expulsos ou condenados à morte por inanição.

7º lugar
Onde: Bangladesh
Quando: 1971
Total de mortos: entre 2 e 3 milhões

A separação da Índia com o Paquistão, em 1947, desengatilhou uma série de tentativas de genocídio entre mulçumanos, hindus e sikhs na região. Para piorar, em 1971, a porção leste do Paquistão entrou em guerra para se tornar um Estado independente, Bangladesh. O governo paquistanês reagiu de modo radical, matando separatistas e seguidores.

6º lugar
Onde: Congo Belga
Quando: década de 1890
Total de mortos: entre 5 e 8 milhões

Em geral, quando um país europeu colonizava um território, não tinha o objetivo de exterminar os nativos - eles costumavam morrer por contrair doenças antes exclusivas dos "homens brancos". Mas, no Congo, foi diferente. O rei belga Leopoldo II (1835-1909) massacrou a população e a escravizou para trabalhar na extração de borracha.

5º lugar
Onde: Ásia Central
Quando: século 14
Total de mortos: 17 milhões

O mongol Tamerlane (1336-1405) pretendia resgatar a glória do império de Gengis Khan (1162-1227), mas com caráter islâmico. Partindo da Turquia, massacrou povos dominados em vastos territórios do Oriente Médio, na Ásia Central e na Mongólia. Sozinho, exterminou 5% da população mundial da época.

4º lugar
Onde: Europa
Quando: de 1939 a 1945
Total de mortos: entre 17 e 20 milhões

Quando o mundo descobriu o horror dos campos de concentração nazistas, a palavra genocídio nem existia. Nunca antes, nem depois, um governo organizou uma infraestrutura tão eficiente em matar pessoas. A Alemanha de Hitler dizimou 6 milhões de judeus e 10,5 milhões de eslavos. Também perseguiu gays, ciganos, romenos e sérvios.

3º lugar
Onde: União Soviética
Quando: décadas 1930 e 1940
Total de mortos: entre 20 e 25 milhões

Outra de Josef Stalin. O tirano russo adotou técnicas variadas para perseguir rivais políticos. Entre 1932 e 1933, por exemplo, forçou a Ucrânia e Cazaquistão a exportar todos os seus alimentos, matando os nativos de fome. Populações inteiras de outros países foram desalojadas e exiladas na gelada Sibéria.

2º lugar
Onde: Ásia e Leste Europeu
Quando: século 13
Total de mortos: 40 milhões

Tamerlane até tentou, mas, em total de mortos, não conseguiu superar seu ídolo. Gengis Khan exterminou todos os que não aceitassem sua ideia de uma grande confederação mongol. Homens mais altos que uma roda de madeira eram mortos. Mulheres, idosos e crianças viravam escravos. Vilas inteiras eram incendiadas.

1º lugar
Onde: China e Tibete
Quando: de 1958 a 1969
Total de mortos: entre 45 e 70 milhões

Entre 1958 e 1962, o líder comunista Mao Zedong (1893-1976) liderou o "Grande Salto Adiante", uma reformulação econômica que pretendia transformar a China em uma potência industrial - mas que, no fim, provocou um colapso que levou pelo menos 40 milhões de pessoas a morrer de fome. Entre 1966 e 1969, uma nova perseguição: a chamada Revolução Cultural caçou minorias, seguidores de qualquer religião e cidadãos delatados por questionar o regime. O país ficou cheio de campos de concentração e as famílias eram obrigadas a pagar pela usada para matar os condenados.

Fonte: Revista Mundo Estranho, julho/2013.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Missão: Jeans 38!

Semana 5 - 16 a 22 de setembro de 2013

Semana passada eu dei uma "esquecida", sabe? Foi uma semana tão conturbada, cheia de obstáculos que não consegui levar a R.A. e os exercícios a sério. Fiquei muito doente, com uma sinusite aguda diagnosticada só no final da semana. Arthur está com uma crise alérgica como nunca vi antes. E meu trabalho está super estressante nesses últimos tempos, muito trabalho misturado a muito nervoso, por isso acho que também fiquei doente... andei muito nervosa com todos esses acontecimentos, faltei 3 dias da semana passada no serviço, alguns dias eu nem almocei por falta de tempo e só fiz exercício uma vez na semana. Então, por essa soma de fatores eu preferi abandonar essa semana do meu roteiro, mas nunca abandonar meu programa, minha meta! Um deslize, um passo fora do esquema, mas vamos voltar como se nada tivesse acontecido, para não largar mão de vez, né?

Contrariando a semana passada, essa semana começou muito bem, obrigada!

Apesar de estar com sono de gravidez (mas não estou grávida, calma lá, rs), estou conseguindo fazer tudo e mais um pouco, ainda bem! Fiz exercícios 4 vezes esta semana, 4 Km por dia de caminhada! A R.A. seguiu bem, estou aprendendo a porcionar melhor a comida, os pratos estão ficando mais balanceados.

Também estou aprendendo a incluir alimentos diferentes e que podem me ajudar a alcançar meus objetivos. Uma coisa gostosa que descobri essa semana foi a Bisnaguinha Integral. A diferença de sabor é pequena e é uma opção de lanche bem gostosa e o preço é o mesmo da comum! Pena que é edição limitada...



No final de semana foi meu aniversário, muitos docinhos, bolos, pavê... tentei escolher o que comer. Não comi pavê de bis, mas comi brigadeiros. Não tomei cerveja, mas tomei refrigerante. Mas foi só sábado também, minha jacada da semana.  

Minha balança está sem bateria, vou providenciar uma nova essa semana para poder me pesar, só me peso nela para não dar diferença. Mas estou animada, ontem ganhei uma calça lindaaaa de uma amiga de aniversário, tamanho 40. E ficou larguinha =), hoje vou trocar por uma 38 =D 

Feliz, mas ainda preciso perder uns 2 quilinhos até dezembro, de 64,5 quero chegar aos 62, será que vai?

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Dia de teatro: O Rei Leão

Ontem foi dia de ir ao teatro com a minha mãe e foi maravilhoso! Ganhei um super presente de aniversário dela, ingressos para assistir o musical do Rei Leão!


Deixamos os meninos em casa e fomos, primeira vez que fui ao Teatro Renault (antigo Teatro Abril). Para minha surpresa, pagamos 15 reais em um estacionamento ao lado do teatro. Baraaaato não foi, mas já estava esperando pagar sei lá, uns 50 reais de estacionamento, já que o povo perdeu a noção, né?

Antes de tudo: há algumas semanas fomos juntas ao Teatro Renault comprar os ingressos, o que acaba saindo um ótimo negócio! Economizamos 76 reais só de taxa de conveniência. Fomos num domingo na hora do almoço, paramos o carro numa rua próxima, não pagamos estacionamento, não pegamos fila e ainda pudemos chegar quase na hora do musical, porque não tivemos que pegar filas para retirar os ingressos, muito bom!

Chegamos quase na hora de começar, sentamos em um lugar pertinho do palco. O musical é sensacional, adoramos! Como O Rei Leão era a Galinha Pintadinha da época do meu irmão, sabíamos até algumas falas e letras de músicas, rs. Ah, alguns trechos das letras foram mudados, que pena =(. Mesmo assim é um espetáculo de encher os olhos, lindos figurinos, os animais, as fantasias, tudo lindo demais! Muito bem feito, foi a peça mais linda que já na vida! E estava cheio de crianças lá, acho que Arthur é muito pequeno para assistir,  mas vale a pena levar os maiorzinhos.

Resumindo: um espetáculo que enche os olhos e ouvidos, lindas coreografias, figurino, vozes, história, assistimos que nem vimos o tempo passar! E fiquei com uma vontade de ver de novo...




Ah, a lojinha de souvenirs é de chorar: linda e muito, muito cara! Levei um chaveiro, aproveitando que coleciono.

Informações
Teatro Renault
Avenida Brigadeiro Luis Antônio, 411 - Bela Vista
Telefone: (11) 4003-5588
Preço: de R$50 a R$280

Não possui estacionamento, mas existem diversas opções na redondeza.

Para conhecer o site oficial do espetáculo, clique aqui.

Para comprar ingressos, clique aqui ou vá diretamente à bilheteria do teatro, das 12 às 20h.

sábado, 21 de setembro de 2013

Dia de cinema: Elysium

Ontem foi dia de cinema de novo aqui em casa, muito bom! Depois de uma seca de meses, essa semana estamos tirando os atrasos cinematográficos loucamente, hahaha!

Foi a primeira noite de baby-sitting do tio Gu e graças a Deus Arthur colaborou, não acordou nenhuma vez! Admito que assisti o filme olhando o celular toda hora, para ver se tinha mensagens de desespero do tio Gu. Admito também que mandei várias mensagens pra ele e ele não respondeu nenhuma. Eu, claro, achei que o sinal estava ruim, que o celular estava com problema, tudo menos que os dois dormiam pesado enquanto estávamos no cinema =/

E para finalizar: darei um tempo na pipoca do cinema! Eita, trem gorduroso! Me deu uma azia, uma crise de fígado que só por Deus!

Li sobre Elysium numa revista há uns meses e desde então fiquei muito interessada. Elysium conta a história do planeta Terra no futuro, um planeta cheio de problemas, falta de recursos, super-populoso e abandonado, com uma população miserável. Enquanto isso, na estação espacial Elysium, algumas pessoas tem acesso a todo conforto, tratamentos de saúde, natureza, enfim, uma vida boa e tranquila, mas muito cara e de acesso à poucos. O sonho dos habitantes da Terra é chegar à Elysium e existem serviços de contrabando de pessoas (tipo atravessadores que temos hoje em dia para os EUA).


Eu adorei o filme e recomendo! O elenco conta com Matt Damon, Alice Braga, Wagner Moura, Jodie Foster, top! Para saber mais vale a pena entrar no Adoro Cinema e também ver o trailer.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

História: como foi o impeachment de Collor?

Para quem não sabia, esqueceu, para quem é muito novo para saber. Foi bom ler e refrescar a memória!

"O processo que culminou com a renúncia do presidente Fernando Collor de Mello, em 29 de dezembro de 1992, foi resultado de meses de investigação parlamentar provocada por denúncias de corrupção divulgadas pela imprensa. Ainda candidato, em 1989, o ex-governador de Alagoas era bem diferente dos políticos da época: relativamente jovem (39 anos), fazia cooper, andava de jet-ski e estampava frases de impacto, como 'Não fale em crise. Trabalhe", em suas camisetas. Quando assumiu, em março de 1990, sua popularidade começou a ficar abalada ao confiscar o saldo das poupanças bancárias a fim de frear a inflação. Cada pessoa ficou com apenas 50 mil cruzeiros (hoje, cerca de R$6 mil) disponíveis e muita gente empobreceu da noite para o dia. Não deu certo: a inflação continuou crescendo e, em 1991, já passava dos 400% acumulados no ano, quando surgiram os primeiros escândalos de corrupção ligados a Collor."

Queda livre: fraudes financeiras provocaram a cassação do primeiro presidente eleito por voto direto após 30 anos de ditatura

1. Pedro Collor, irmão do presidente, concedeu entrevista à revista Veja, em maio de 1992, denunciando um esquema de lavagem de dinheiro no exterior comandado por Paulo César (PC) Farias, tesoureiro da campanha eleitoral de 1989. Fernando acusou o irmão de insanidade mental - desmentida por exames.

2. O Congresso Nacional criou una Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias. Vieram à tona esquemas como a Operação Uruguai: empréstimos fraudulentos para financiar a campanha de 1989. Além disso, contas fantasma operadas por PC financiavam a reforma da Casa da Dinda, onde Collor morava.

3. As ligações do presidente com os golpes de PC ficaram evidentes. Um carro Fiat Elba para uso pessoal do presidente foi comprado com dinheiro vindo das contas fantasma do tesoureiro de campanha. Em agosto, o motorista Eriberto França contou à revista Istoé como levava contas de Collor para serem pagas por empresas de fachada de PC.

4. Em busca de apoio, o presidente fez um pronunciamento pedindo para que a população fosse às ruas, em 16 de agosto, vestida com as cores da bandeira nacional. O povo não atendeu e saiu vestido de preto, em protesto. Entre os manifestantes, destacaram-se grupos de estudantes batizados pela imprensa de "caras-pintadas".

5. Em 24 de agosto, um relatório da CPI atestou que US$6,5 milhões haviam sido transferidos irregularmente para financiar gastos do presidente. A insatisfação popular aumento e, em 29 de setembro, o impeachment foi aprovado por 441 dos 509 deputados. Collor foi afastado e substituído por Itamar Franco, seu vice.

6. Collor foi, então, julgado pelo Senado Federal. Em 29 de dezembro, o presidente renunciou para tentar engavetar o processo e preservar seus direitos políticos. No entanto, por 76 votos a 3, os senadores condenaram o presidente, que não poderia concorrer em eleições pelos oito anos seguintes.

Que fim levou? Fernando Collor  foi absolvido criminalmente pelo Supremo Tribunal Federal em 1994. Em 2006, foi eleito senador - cargo que ocupa até hoje - representando o estado de Alagoas. 

Fonte: Revista Mundo Estranho, 10/2012.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Quais as plantas medicinais mais usadas?

Uma farmácia no jardim: conheça algumas plantas aprovadas por nossas avós e pela ciência.

Babosa (Aloe Vera)
Como usar: compressas e lavagens com a seiva da folha
Bom para: feridas, queimaduras e inflamações na pele
Similares: calêndula, confrei e tanchagem
Obs: use só no exterior do corpo! A ingestão não é recomendada, tanto que já proibiram seu uso em bebidas e alimentos.

Camomila (Matricaria Chamomilla)
Como usar: chá da flor seca
Bom para: ansiedade, indônia
Similares: melissa, erva-cidreira e valeriana

Guaco (Mikania Glomerata)
Como usar: chá ou xarope da folha
Bom para: vias respiratórias obstruídas e estados gripais
Similares: eucalipto, hortelã e poejo

Quebra-Pedra (Phyllanthus Niruri)
Como usar: chá da planta toda
Bom para: cálculos renais e infecções renais
Similares: cavalinha, carqueja e barba-de-milho

Boldo (Plectranthus Barbatus)
Como usar: chá de folhas
Bom para: problemas digestivos, azia e indigestão
Similares: alcachofra, espinheira-santa e erva-doce

Gengibre (Zingiber Officinale)
Como usar: chá da raiz
Bom para: rouquidão e problemas da garganta
Similares: canela, cravo e romã

Dica de site para visita: Plantas Medicinais

Fonte: Revista Mundo Estranho, 10/2012

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

I Oficina de Brigadeiro

Há umas duas semanas, fiz minha primeira oficina com as crianças do meu serviço. Com ajuda da maravilhosa professora Sônia, do 1º ano C, foi possível realizar esse desafio. Trabalhar com crianças é uma delícia, mas não é fácil. Eles estão cada vez mais espertos e alguns, mais levados e/ou mal-educados...

Algumas crianças aqui da escola não tem acesso a lazer fora daqui, então pense na ansiedade que eles ficaram? Depois da notícia das oficina, foram dias me parando pela escola, perguntando quando seria. Até que uma semana eu e a professora tomamos uma boa dose de coragem e marcamos.

Combinamos o que cada uma traria, para não ter que pedir nada para os alunos e fechamos: sexta-feira, ela traria os ingredientes básicos do brigadeiro e eu, forminhas e confeitos variados.

Levamos os meninos para o pátio, onde eles comem no recreio, mostramos os ingredientes a eles, misturamos tudo com a ajuda deles e depois fui para cozinha, sozinha, cozinhar o brigadeiro. Alguns ficaram na porta, curiosos, querendo ver como estava ficando. E o cheirinho do brigadeiro de panela? Meu Deus, nem lembrava como era, já que só faço no micro de uns tempos pra cá! Agora só farei na panela, muito mais gostoso o resultado é outro e a experiência fica toda especial!

Depois de esfriar, subi para sala deles, dividimos as crianças em grupos, colocamos um prato com confeitos no meio da mesa e começamos. Eles lavaram as mãos, passei manteiga nas mãozinhas deles para eles enrolarem os doces e nisso eles ficaram por volta de uma hora enrolando e confeitando os docinhos. O combinado era enrolar e colocar na mesa da professora, para tirarmos fotos no final, mas quem disse que criança aguenta enrolar brigadeiro sem comer, rsrsrs? Alguns trouxeram os brigadeiros para mesa, tiramos fotos e depois distribuímos entre as crianças. Alguns, fofos, separaram para levar para o irmãozinho ou a mãe em casa, outros seguravam o brigadeiro como se fosse um troféu, com um cuidado! E outros mandaram direto pra barriga, sem dó nem piedade, rs.

A professora aproveitou a oficina para ensinar português e matemática para os pequenos, fazendo contas de quantas latas de leite condensado iriam caso dobrasse a receita, as letras usadas para escrever os ingredientes, muito bacana mesmo! Mês que vem combinamos de fazer outra oficina com eles. Também vou aproveitar para testar oficinas em outras salas, andei conversando com algumas professoras essa semana. Umas tem muito interesse, outras nem tanto, mas vamos que vamos!

E agora, algumas fotos para guardar esse momento:











Juntei tudo: gosto de crianças, preciso fazer meu estágio da faculdade e amo fazer (e comer, rsrsrs) doces. E com essa mistura, somada a uma boa dose de paciência e ajuda da professora, tudo aconteceu e com certeza foi um aprendizado para mim e será uma boa lembrança na vida desses pequenos, não vejo a hora de fazer outra oficina culinária!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Dia de cinema: Invocação do Mal

Depois de muito tempo sem pegar um cineminha com o maridón, fomos nesse fim de semana assistir Invocação do Mal. Na verdade eu fui porque queria muito sair, mas fui sem expectativas, sabe? Quando você vai pensando que vai ver um filme bem porcaria, daqueles manjados de espíritos e demônios?

Pois é, me enganei.

O filme é sensacional, adorei! De bom gosto, nada de forçado, parece ser uma história real mesmo (será que foi? Atividade Paranormal também dizia ser baseado em fatos reais...). A sessão estava lotada, mas lotada mesmo e não vi ninguém aloprando o filme depois, coisa muito comum em filme B sobre espíritos. O elenco é muito bom, com Vera Farmiga, Patrick Wilson, entre outros. A fotografia do filme é linda, a casa da família fica afastada da cidade, próxima a um lago, o filme se passa nos anos 70, os sustos são... sustos! Fora que envolve família e filhos, é bem forte. E dá medo!

Para quem se interessar, o filme está em cartaz em diversos cinemas pelo Brasil. A sinopse pode ser vista aqui e o trailer, aqui.

Recomendo muito!

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Tempo é dinheiro (e muitas outras coisas mais)

Sempre valorizei muito meu tempo, mesmo. Sempre estudei, trabalhei, curti, viajei, dancei. Uma época eu estudava em dois lugares diferentes e fazia estágio pela manhã. Para mim sempre foi um prazer estudar, ficar em casa era uma besteira, dormir uma perda de tempo. O negócio era sair, passear, curtir, como se não houvesse amanhã. Eu ainda sou um pouco assim, mas dei uma pisada no freio porque agora tenho o Arthur, né? Tudo bem que com uma semana eu já estava fazendo mercado com ele, com um mês viajando, mas faz parte, rs.

E aí eu estava pensando esses dias, cara, eu preciso valorizar meu tempo. Eu gosto do meu trabalho, mas trabalho 9 horas por dia e ganho pouco. Tenho as vantagens, que é poder levar meu filho ao médico ou faltar sem (muita) cara feia, 45 dias de férias ao ano e horários alternativos de trabalho nas férias da molecada. Isso tudo pra quem é mãe é uma mão na roda. Ainda por cima dependo muito financeiramente do meu marido, ainda bem que ele é bonzinho, mas eu queria muito ter minha independência financeira. Eu sou péssima dona de casa e não sirvo para ficar em casa sem trabalhar. Além de enlouquecer, iriam me crucificar porque eu seria a relaxada que não faz nada e ainda não cuida da casa, rs. Mas trabalhar 9 horas por dia com filho pequeno é cruel, me sinto tão culpada! Sinto tanta saudade dele... queria poder levar o Arthur para uma natação duas vezes por semana, ir a um parque ou algo mais simples, como descer com ele no parquinho no prédio durante a tarde, sabe? Esses dias que eu fiquei em casa porque estamos os dois doentes foram tão gostosos... brincamos, vimos desenhos, fomos ao parquinho mais de uma vez, andamos pelo prédio...

Aí você pode virar pra mim e dizer, passe em outro concurso público. E isso é o que mais quero na realidade, mas por falta de tempo e de cérebro não consigo estudar e consequentemente, passar nas provas. Cogitei trabalhar em casa fazendo doces para vender, já que esse talento Deus me deu caprichado, mas morro de medo de ser autônoma (mas juro que vivo estudando, tentada, essa opção). Penso em tirar licença sem vencimento ano que vem e me arriscar por outras bandas de trabalho, afinal, se tudo der errado tenho meu carguinho amigo me esperando de volta. Honestamente? Espero não ter que voltar. Nada pessoal, só quero algo melhor para mim e minha família. Quero poder ajudar meu marido (pelo menos não dando gastos para ele) e ao mesmo tempo ter mais tempo para minha família. Difícil, não?

Morro de orgulho das minhas amigas zécutivas, mas de verdade, não morro de inveja. Essa vida não é pra mim. A madrinha do meu filho é admirável, espalho aos 4 ventos o quanto tenho orgulho dela. Mas sei também que ela trabalha bem mais que 9 horas por dia, às vezes trabalha de fim de semana, passa stress. Em troca, ela é bem sucedida, ganha bem e vai ganhar cada vez melhor porque é muito esforçada e dedicada. Mas pra mim não dá. Já tentei me imaginar, mas não rolou. Tenho outras amigas sucesso nessa área, mas todas tem algo em comum: não tem filhos e nem querem ter tão cedo. Por isso já decidi e espero não voltar atrás, rs: não quero ser zécutiva.

Aí você pode pensar, "pô, mas você tá velha para pensar no que quer da vida". E eu acho que nunca estaremos velhos para termos essas dúvidas... quem nunca ouviu aquela história do senhorzinho que foi fazer medicina com não sei quantos anos? E aquele casal do blog que adoro Viajo, Logo Existo, que largou tudo, carreira de sucesso, apê montado para se aventurar pelo mundo de Jipe?

Depois de tanta brisa, tantos pensamentos, cansaço, luta, decidi que tenho que dar um rumo na minha vida, nas minhas escolhas. Fiz vários cursos, tenho um bom inglês, adoro ler, adoro curiosidades, filmes, seriados, ler jornais. Estou terminando a Federal, é questão de honra por sinal! Só de lembrar que fui até o último dia da minha gravidez pra aula, para visitas técnicas, que perdi um show do David Guetta para apresentar um trabalho de Ecologia, que levei Arthur novinho para assistir aula comigo... tantas coisas que PRECISO terminar esse curso. Fora que será muito legal ter um diploma do IF. Vou terminar tudo direitinho e me aventurar por novos caminhos, com força e coragem (se Deus, Jah e cia quiserem!).

E tudo isso, essas dúvidas, medos, culpa, reflexões, tudo por causa disso, dá pra resistir?? Como cresce rápido... até assusta! Mas é a razão da minha vida, minha fortaleza, esse porcaria aí, rsrsrs!




Dia de teatro: Nemo, o Musical

Em cartaz no Teatro Augusta, super fácil o acesso, está em cartaz aos sábados e domingos, às 16h, a peça Nemo, o Musical. Ótima dica de passeio para as crianças, a peça é curtinha, com muita música e cenário colorido, atraindo as crianças pequeninas e os maiorzinhos. Os personagens interagem com as crianças, é bem legal, todos nós gostamos! Eu, tia Juliane, Arthur e Maria, indicamos!

Arthur e Maria tietando o elenco no final da peça 



Dica: ao lado do teatro tem um supermercado Dia, que tem estacionamento por 15 reais. Ok, também acho caro, mas melhor que os 20 reais do estacionamento ao lado, né? =P

Dica 2: a pipoca do pipoqueiro em frente ao teatro é sensacional! E o melhor, podemos entrar no teatro com a pipoca! Não no espetáculo, mas no saguão de espera sim, nunca vi teatro que deixasse antes =)

Dica 3: todos os lugares do teatro são bons, a disposição das poltronas é stadium, o teatro está bem conservado, é pequenino, mas atende bem as expectativas.

Informações
Teatro Augusta
Rua Augusta, 943 - São Paulo
Telefone: (11) 3151-2464

Preço: 50 reais a inteira, mas no Groupon sempre está vendendo a 15 reais, bora aproveitar!

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Dia de cinema: Aviões

Hoje foi uma sexta-feira 13 duca: estou super hiper doente e Arthur com uma tosse chata há 4 semanas... passamos a manhã toda e parte da tarde no hospital, fazendo exames, passando por consulta. No fim, eu com sinusite brava e Arthur? Nada! Pois é, não que eu queira meu pequeno doente, mas queria uma explicação para o que ele tem.

Enfim, depois de um stress básico no serviço por causa das minhas faltas esses dias, de última hora decidimos ir ao cinema assistir Aviões. Foi pá pum, entramos no site, vimos o horário e fomos, sem muita enrolação.

Fomos ao Shopping D, fazia séculos que não ia ao cinema de lá. Bom, vamos ao filme:

Uma gracinha de desenho, que veio na onda de Carros. O mundo é habitado só por veículos, até a estátua da liberdade é um veículo, muito bacana! Um avião pulverizador chamado Dusty sonha em participar de uma famosa corrida de volta ao mundo, em que somente campeões experientes participam. Para isso, ele treina muito com a ajuda de vários amigos, entre eles o veterano de guerra Skipper Riley, a mecânica Dottie e o caminhão Chug. Durante a corrida, Dusty mostra para os outros competidores os valores da amizade e do companheirismo. Adoramos muito, muito mesmo! Um desenho para toda família, não tem jeito, a Disney é sensacional!

Dusty, o protagonista do filme

Cartaz do filme, para quem interessar, vale a pena ver o trailer oficial!

Curiosidade: é muito legal a Ivete Sangalo dublando a avionete (feminino de avião no filme) brasileira Carolina, com sotaque da Bahia e tudo!



E o melhor de tudo: Arthur super colaborou, ficou quietinho o filme todooooo, primeira vez que vamos ao cinema com tanto sucesso! Eu adorava levar meu enteado ao cinema, fico muito feliz por agora ter meu menininho para levar ao cinema e curtir esses filmes de menino que eu tanto gosto! Boa dica de passeio para o fim de semana, hein?

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Missão: Jeans 38!

Semana 4 - 02 a 08 de setembro de 2013

A semana começou e eu estou super motivada! Apesar dos míseros 100g perdidos semana passada, recebi tantos elogios na segunda que foi um abraço na alma! Pessoas de lugares diferentes vieram me falar que estou mais magra! E uma mais ceguinha falou que estou com o corpo como antes (exageraaaaaaaada, mas tudo bem, valeu o elogio, rsrs).

Na segunda o menu foi bom, no almoço fiz um prato mais ou menos assim: metade de salada, a outra metade dividi em dois pedaços de bife e arroz. Tentei seguir essa medida no restante da semana e deu resultado, viu? A noite não comi carboidratos, como prometi, na verdade comi um sanduíche natural do Pé do Suco, casa de sucos lá no Shopping D, maravilhosa por sinal! Lanche sem maionese, cheio de salada e peito de peru, no pão integral, muito gostoso. E para acompanhar, meu queridinho da vez, suco de blueberry, amo muito!

Suco de blueberry, muito amor!

Em casa, antes de dormir, bateu aquela fome e pior, vontade de comer doces... aí eu fiz uma saladinha de fruta que ficou uma delícia, morango dá todo um charme e o sabor fica ótimo! 



Ah, uma dica que peguei no Insta @blogdadrika: compre morangos, limpe e congele! É uma fruta maravilhosa, que incrementa qualquer sobremesa, dá gosto de comer! E como estamos na época, vá a uma banquinha na feira e negocie. Esse domingo meu marido comprou 12 bandejinhas por 18 reais, legal, né? Está tudo no congelador, olha:



Durante a semana procurei seguir direitinho minha R.A., comendo bem e de forma saudável na quarta eu dei uma jacadinha e comi Bis, porque estava muuuuuuuuuuitooooooooooo nervosa com algumas coisas que aconteceram no meu trabalho, fora a rotina que está uma loucura nesses últimos tempos! Mas comi um pinguinho de nada, para não pesar tanto. 

Quinta foi um dia bom, folga no trabalho e dia com o filhão! Fomos ao médico ver o porque de tanta tosse e aproveitei para curtir muito, ver desenhos com ele, brincar, foi bem gostoso! Nesse dia nada de exercícios, mas foi por uma boa causa =)

Sexta, correria do trabalho, mas R.A. firme e forte!

O fim de semana que foi complicado, festa de aniversário de 3 amiguinhos lindos do Arthur, pensem... docinhos, bolos, salgadinhos, pizza... mas durante a semana vou recompensar ;)


E apesar das jacadas do fim de semana, o esforço durante a semana, os exercícios, tudo isso resultou em 900g menos na balança! Agora estou pensando 64,4 kg e bem feliz com o resultado! Massss, estou ficando mole... depois de perder peso, vou precisar muito fazer musculação. A meta é até o fim do ano terminar as matérias presenciais na Federal e ano que vem malhar a noite, vamos ver, tomara que dê certo!


O balanço da semana foi ótimo, fiz exercícios quase todos os dias, uhuuu! Segui a R.A. nos dias de semana e estou super motivada, bora partir para a semana 5!

Boa semana à todos, força, foco e fé!





quarta-feira, 4 de setembro de 2013

" A maconha salvou minha vida"

Antes de tudo: não tenho posição formada sobre a legalização da maconha, tenho pontos de vista positivos e negativos sobre o assunto. Essa é uma matéria tirada da revista Superinteressante, de janeiro de 2013.

"Em 2010, saí de férias com minha mulher. Era maio, lindo tempo para a praia. No primeiro dia de viagem, quando eu esperava num bar para almoçar, o telefone tocou. Era meu médico. Ele falou com calma e sem pausas. "Sr. Cote, infelizmente a biópsia deu positivo. Você tem um carcinoma de células escamosas em seu pescoço, que precisa ser retirado imediatamente." Fui operado poucos dias depois de voltar a São Francisco, onde moro. Só que ninguém me avisou sobre as consequências da cirurgia.

Os médicos tiraram o tumor, mas me deixaram com uma dor terrível. Eu quase não podia suportar. Na primeira noite, pedi mais analgésicos à enfermeira. Ela disse que eu já havia tomado minha cota de Tylenol, e que portanto teria de esperar até a manhã seguinte. Passei a noite em agonia. No outro dia, fui apresentado à oncologista, que me passou a lista de prioridades: ressonância magnética, radiação e quimioterapia. Dava para ver que seria um caminho difícil.

Na radioterapia, os médicos cobriram meu rosto com uma máscara para queimar as célular cancerígenas da região. Entrei em pânico. Foram 33 dias, cinco dias por semana. Durante os dez minutos de cada sessão, eu era como uma salsicha dentro de um micro-ondas. Meu pescoço ardia e as dores ficaram ainda mais intensas. E pior: a radiação literalmente queimou minhas glândulas adrenais - responsáveis pela produção de hormônios esteroides, fundamentais para o funcionamento do corpo. Passei então a ingerir pílulas diárias de esteroides para continuar vivo, que provocavam enjoos e um enorme mal-estar. Era muito difícil comer e dormir. Os médicos me receitavam vários remédios, como a metadona, mas quase não faziam efeito - ei me sentia cada vez pior.

Há cerca de um ano, meus filhos me aconselharam a usar maconha. Por acaso, eles trabalham com maconha medicinal em São Francisco e me recomendaram a droga para reduzir as dores e a ansiedade. Além do tratamento do câncer, a droga tem sido usada para aliviar sintomas de doenças, como a aids, artrite, esclerose múltipla, glaucoma e epilepsia. Meu médico me deu a prescrição. Hoje, posso viver como uma pessoa normal. A maconha não eliminou a dor, mas reduziu-a bastante. Numa escala de 1 a 10 (sendo 10 a pior), sinto uma dor grau 7 quando não uso maconha. Com ela, a dor diminuiu para 4 ou 5. Consigo comer e dormir a noite toda.

Consumo a erva geralmente na forma de biscoitos da Auntie Dolores, uma empresa que fabrica produtos comestíveis feitos com maconha medicinal. Isso evita os efeitos colaterais do fumo. Consumo de 4 a 5 mg de canabis de manhã para poder trabalhar. À noite, tomo outros 9 mg para dormir. Felizmente, como não há risco de overdose, meus médicos não estipulam a quantidade. Eu mesmo ajusto a dose até sentir o efeito. E continuo tomando remédios, como a hidrocortisona (esteroide similar ao hormônio produzido pelas adrenais) e a fludrocortisona (para controlar o sódio).

O uso da maconha para fins médicos é legal em apenas 18 dos 50 Estados americanos. E poucos deles realmente aplicaram a lei, como é o caso da Califórnia. Assim, mesmo com prescrição médica, você pode ter muita dificuldade para obter maconha medicinal nos EUA. Eu tive a sorte de viver em São Francisco. Não sei como seria se não tivesse sido assim. Com todos os remédios disponíveis, a única coisa que realmente me ajudou foi a maconha. Ela trouxe minha vida de volta.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Medo de dentista - Parte I

Eu sou medrosa para algumas coisas, tenho até meu top 5: dentista, avião, barata, altura e abelha. Também tenho medo de perder alguém que amo.

Sem dúvida, o pior é perder alguém que amo. Esse medo é tão grande que nem penso nele, é como se fosse algo impossível de acontecer, sabe?

Mas voltando aos medos... adoro viajar, mas morro de medo de avião. Detesto barata, tenho nojo, agonia, tudo. E uma baratona voadora já pousou no meu ombro duas vezes e não faz muito tempo, ecaaaa! Abelha tenho medo porque já levei picada até dentro do Morumbi Shopping. E dói que só, né? Altura me incomoda desde pequena, mas é altura grande mesmo que me dá medo, de andar alto. Meu pai tem o mesmo medo, então todas as nossas casas tiveram e ainda tem rede de proteção.

O dentista é terrível pra mim e o pior, não dá pra evitar, é super necessário... e eu tenho muito azar com dentitas... quando eu era criança, tinha uma odontopediatra ótima, Dra. Vitória. Eu sempre tive medo de anestesia, uma vez com uns 11 anos eu tive que arrancar um dente para outro nascer. Pense num escândalo, numa gritaria total? Era eu no consultório. Ridículo... E esse medo nunca passou e só piorou. O tempo passou e todas as minhas experiências em dentistas foram péssimas, uma pior que a outra. E a maioria eram de dentistas que não mostravam segurança, aí eu ficava com mais medo ainda.

Quando eu estava grávida do Arthur, tive muita dor no dente do siso. Dias antes do Arthur nascer eu estava alucinando de dor de dente, nada fazia melhorar. Não lembro se não tomei remédios para ajudar, mas lembro que a dor foi bizarra mesmo. E fui a um dentista aqui na Mooca, na Sorridents. Pra variar, a experiência foi péssima, a dentista que me atendeu estava cheia de medo de me atender, disse que eu tinha uma cárie no siso e que o ideal era arrancar o dente, que estava bem torto, mas que não queria me anestesiar porque estava com medo. Ela tentou obturar o dente sem anestesia, quase morro de dor, mas aguentei firme por um tempinho (bem inho). Ela me pediu para voltar quando o nenê nascesse. Fui embora e passei no Servidor, para ver se conseguir passar no dentista de lá. Infelizmente não consegui por falta de dentistas, mas peguei um atestado com um obstetra para receber a anestesia e arrancar o siso. Eu estava tão, mas tão louca de dor que nem liguei, queria mesmo arrancar o dente encrenca. Não liguei pra anestesia, pra medo, pra nada, só queria me livrar daquilo. E a dentista? Arregou. Não quis arrancar o dente. Dia seguinte acordei e o dente não doía mais, a coragem foi embora e não fui em outro dentista.

Dá até vergonha de dizer que nunca mais fui a um dentista, mas decidi, vou marcar consulta em um e logo. Arthur também precisa passar em um dentista, se ele tiver a tendência que eu e meu irmão tivemos, terá muitas cáries na infância. E vou arrancar o tal dente, que medo... volto pra contar quando fui e como foi a consulta. Que meeeedo!

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Missão: Jeans 38!

Semana 3 - 26 de agosto a 01 de setembro de 2013

A semana começou com todo o gás, depois de ter me controlado bem no fim de semana e não ter jacado, comecei bem animada! Infelizmente não consegui fazer nenhum exercício na segunda, mas logo corri, literalmente, atrás e recuperei o tempo perdido! A alimentação também foi bacana, iogurte com cereal, cookie de aveia, maçã e mel, docinhos amigos que me ajudam na minha meta e a controlar a bendita ansiedade!

Terça foi um dia tão corrido que não consegui, de novo, fazer exercícios, mas compensei na quarta, fazendo bastante esteira enquanto assistia jornal e Mais Você, rsrs. E a alimentação também foi 10 até quarta, quando fui ao cabeleireiro e estava tendo a festa de aniversário do salão, servindo refri e salgadinhos. Não resisti e participei, mas como eu li no blog da Drika (que também sigo no Insta e amo!), não podemos desistir quando escorregamos, é como parar de fumar. A gente fuma um cigarro e quer jogar tudo pra cima porque escorregou, mas não podemos! Temos que seguir de onde paramos, como se nada tivesse acontecido e claro, evitar que aconteça de novo! Ninguém é de ferro e a R.A. é um processo, como o nome diz, reeducação, aprender de novo, devagar e sempre focando nos objetivos!

No decorrer da semana comi direitinho, mas mal consegui me exercitar, meu filhote ficou doentinho e me complicou bastante. Na verdade, minha rotina tenta boicotar meus exercícios, rsrsrs, mas farei de tudo para não deixar. Já aprendi a driblar o trabalho e a faculdade, mas filho doente não tem como. Mal dormimos e fiquei péssima esses dias, dá uma ansiedade, uma vontade de comer doces... mas segurei numa boa.

No domingo conversei com uma colega nutricionista e vi que estou exagerando nos carboidratos. Essa semana andei jantando como no almoço, arroz, feijão, carne e salada. A partir da semana que vem vou tirar o arroz e feijão do jantar e colocar bastante salada no lugar, para turbinar minha R.A.

Apesar de não ter comido besteiras, caprichar no jantar boicotou as coisas, emagreci apenas 100g! Fiquei nos 65,3 kg.




Deu um desââânimo na hora... mas aí lembrei da palestra dos Vigilantes do Peso que fui em Julho (infelizmente não aderi ao programa porque achei muito caro e no horário da reunião eu tenho aula na faculdade) e eles disseram o seguinte: a partir do início da reeducação alimentar, demoramos em média 3 semanas para começar a perder peso e que o ideal é perder meio quilo por semana a partir daí. Então, semana que vem entrarei na quarta semana e espero alcançar meus objetivos.

Estou aprendendo muito. Fiz amizades virtuais que me dão ideias e me fortalecem na minha vontade, sigo mulheres reais no Instagram, que tem dicas de beleza, dieta, exercícios e é inspirador. Estou animada, até o fim do ano espero perder uns 5kg, será que vai? Tomara, vou batalhar para isso acontecer!

Boa semana à todos, força, foco e fé!



domingo, 1 de setembro de 2013